Adaptações para live-actions: do mangá para as telonas

Por Matheus Chami em

ANMTV / Divulgação

Não é de hoje que vemos várias obras sendo adaptadas para diferentes mídias. Seja um livro se transformando em filme, um mangá tornando-se anime, a todo momento temos novas produções chegando ao mercado e nesse ANMTV Originals vamos conjecturar sobre como é fazer uma adaptação para live-action, os desafios, as que deram errado e a única que deu certo.

Qual a sua opinião sobre o assunto? Gosta ou abomina as adaptações? Deixe nos comentários.

Comentários
  • MrM

    Bastante interessante a abordagem dos filmes no vídeo. Como o tempo é curto, só foi possível falar de uns 3 ou 4 filmes.
    De fato, se for para comparar, a adaptação de Kenshin ficou impecável, sendo bastante semelhante à fórmula adotada pela Marvel.
    Dragon Ball teve a falha que todas as adaptações americanas de games japoneses e mangás tiveram: atuações toscas, figurino tosco, efeitos visuais toscos e, principalmente, um roteiro sem lógica, que, além de não respeitar a obra original, se utiliza de clichês e piadas em momentos inoportunos que não funcionam nem para o fã e nem para aquele que desconhece a obra. Outra coisa, Dragon Ball não funcionaria em live-action sendo adaptado por nenhum país, motivo: são muitos, MUITOS, elementos fantasiosos e exagerados. É um esforço desumano tentar adaptar algo assim para as telonas.
    Talvez, se for adaptada somente a primeira fase (com Goku criança) até funcione, levando em consideração uma faixa etária bem baixa.
    Quanto a Kenshin ser o único que deu certo, fica somente para o assunto do vídeo, pois há outros filmaços.
    Os três filmes que a Sato Company trouxe do Death Note são muito bons. Não chegam à excelência de Kenshin, mas entregam a proposta que desejavam.
    Há as adaptações de mangá para os lives de drama (não me refiro aos seriados “doramas”): Usagi Drop (disponível aqui pela Sato Company), Nossa Irmã Mais Nova (disponível pela Imovision) e outros.
    As maluquices de Takashi Miike funcionaram muito bem nos dois primeiros filmes de Crows. O primeiro foi lançado por aqui, já o segundo eu tenho as minhas dúvidas.
    Fora os blockbusters que ainda não foram lançados oficialmente: I am a Hero (sensacional), Ajin (parei de ver esperando que chegue por aqui nos cinemas. TEM que ser visto nas telonas) e Inuyashiki (as críticas têm sido bastante positivas, e os efeitos visuais são excelentes. Esse, só quando chegar por aqui. Resistirei).
    Também achei legal o apoio à Sato. Na minha opinião, eles estão errando com o filme do Jaspion, mas acertando ao trazer os filmes japoneses pra cá. Que venham mais!

    • Matheus Chami

      Sim! Chega a ser bem complicado tentar adaptar a saga Z, GT ou até a Super, mas consigo imaginar uma adaptação para o Dragon Ball Clássico dividindo cada arco em um filme e culminando no Piccolo Daimaoh num terceiro ou quarto longa.

      E foi bem o que comentei no vídeo, quando a equipe pode se basear em um material fonte e sem ter a pressão de já existir um anime do título, fica mais fácil de criar uma boa adaptação.

      Esses últimos 3 ainda não cheguei a assistir, mais vou dar uma conferida depois ;)

  • Carol

    Gosto mas quando sai eu odeio

    • Yellow Hair

      Gosto também mas quando anunciam eu detesto

      • Carol

        Não, tipo, quando anunciam eu ainda gosto, mas quando vejo o filme eu detesto. Às vezes já detesto antes quando vejo a cara dos atores.