Fairy Tail: Ame ou Odeie

Por Eder Rodrigues em

Kodansha / A-1 Pictures / Divulgação

Todo fã de animes sabem o quão essa indústria é munida de Shonen (animes dedicados ao público jovem), e em geral, fazem sucesso não somente no mercado japonês, mas também no mundo todo. E Fairy Tail é uma dessas obras, mas como uma peculiaridade: ou você gosta muito, ou odeia demais. E é justamente isso que iremos falar. Os prós e contras desta obra, que quer você goste ou não, fez e ainda faz (com a continuação Fairy Tail 100 Years Quest, lançada em Julho) sucesso.

O mangá Fairy Tail foi criado, escrito e ilustrado por Hiro Mashima em 2006 e publicado na revista Weekly Shōnen Magazine com 63 volumes publicados e que durou até agosto de 2017. A história segue Lucy Heartfilia é uma jovem maga de 17 anos que deseja tornar-se uma maga evoluída. Para isso, ela terá que entrar em uma guilda de magos, para ganhar dinheiro para sobreviver e também para aprimorar suas habilidades. Assim sendo, ela chega até a cidade de Hargeon, onde encontra Natsu Dragneel e Happy. A partir de então, as aventuras dos nossos protagonistas começam aprontando altas confusões (texto digno do narrador da sessão da tarde).

A história parece ser bem simples, e na sua essência ela é mesmo, porém a nuances interessantes na obra. Aqui somos apresentados a muitos tipos de criaturas mágicas, principalmente os dragões, que são parte essencial no enredo de Fairy Tail. Toda construção daquele mundo não é difícil de ser entendida, e isso é legal de notarmos na obra de Mashima.

As construções de personagens também é um caso a parte, pois cada pessoa ali, tem características próprias, que o distingue dos outros. A relação que se estabelece no inicio da obra entre Natsu e Lisanna, e o sentimento e culpa pelo que aconteceu com ela, é muito bem trabalhada. Você sente a introspecção do personagem e a relação do Natsu de não se apegar tanto a Lucy, pelo medo de que aconteça a mesma coisa que aconteceu com a Lisanna, é algo muito bom. Essa humanização do personagem, fazendo um paralelo com a realidade, traz uma empatia com o público, pois é algo muito plausível que pode acontecer na vida real.

As lutas também são muito bem-feitas, e isso quando foi adaptada para anime (em 2009 a 2013, e depois uma nova temporada de 2014 a 2016) notamos ainda mais como as lutas são boas, fluidas e um dinâmica bastante interessante. Seus vilões principais (tanto o Acnologia como o Zeref) são genéricos, porém existe motivações boas, principalmente se tratando do Acnologia, que meio que enlouquece pelo poder.

Pontos negativos

Mas, como nem tudo são flores, Fairy Tail tem digamos seus “pecados” e não são poucos, se formos parar para analisar, a começar pelo excesso de E@#hi, que é um termo japonês usado para sensualização de determinados personagens, e em quase cem por cento das vezes, com mulheres. Essa situação incomoda demais ao ponto de ter uma “luta” no arco dos Grandes Jogos Mágicos, entre duas mulheres, que batalham para ver que é a mais bonitas, e para tal, fazem poses sensuais e ficam somente de biquíni (meu Deus, que lástima)

Outra situação, que todo mundo não gosta em Fairy Tail, é o famoso “poder da amizade ganha tudo”. Não tem uma batalha em que o Natsu enfrenta, que ele não ganhe com um discurso de que “eu faço isso pelos meus amigos” ou ainda “minha guilda é a minha família e são quem eu devo proteger”. Isso não seria problemas, se não se tornasse algo massivo, repetitivo e muito cansativo, e todas as lutas disputadas por ele, aí não tem como defender, isso é uma coisa que incomoda demais.

E para finalizar as coisas ruins, vou compilar duas coisas em uma, que é a falta de “realismo”e a morte tratada na obra. Mas você deve estar se perguntando, “mas o que esperar de realista numa obra de ficção?”  Sim, você esta certo, até a paginas dois caro leitor. Aqui temos uma síndrome, que está assombrando com grande força no mercado dos animes japoneses: o politicamente correto ou a censura de determinadas situações.

Em Fairy Tail, dá para contar nos dedos, as vezes que realmente teve sangue, e se teve foram raríssimos estes momentos (como também ocorreu em Dragon Ball Super). As batalhas são extremamente acirradas e rola socos e chutes, e nada do sangue e de machucados. Mas esse não é um problema exclusivo de Fairy Tail, outras obras como eu já disse, estão seguindo por este caminho.

E a morte retratada na obra de Hiro, é bem malfeita, pois quase não tem. Você dá para contar nos dedos também, quantos personagens morreram na obra, que tiveram grande relevância em Fairy Tail, isso é lamentável. E quando acontece uma morte, e se constrói algo muito bom em torno dela, Mashima vai lá, e trás de alguma maneira o personagem de volta. É decepcionante esta falta de humanização destas situações.

Esperamos que a terceira temporada do anime (a última temporada de Fairy Tail), que será lançada em Outubro de 2018, mude muitas coisas que Hiro Mashima, não soube trabalhar no mangá, principalmente o seu “final” que foi bem decepcionante também, mas não podemos negar, que Fairy Tail é um grande sucesso, com mais de 60 milhões de exemplares vendidos, e por justamente isso, esperamos sempre o melhor da obra.

Comentários
  • shipuca

    Muito bom. Seria ótimo um do One Piece, quem acompanha a obra sabe que é bem complexa

    • Yellow Hair

      One piece?
      Vish… Seria necessário vários artigos pra isso

      • eder rodrigues da conceição

        No mínimo uns 3, para uma análise detalhada ha.

    • eder rodrigues da conceição

      One Piece é bem interessante, para se analisar. Anotarei para um futuro texto.

    • toygame lan

      one piece só valeria apena quando terminasse o manga

  • Seto Kaiba

    Apesar de tudo, a única coisa que realmente me incomodou em FT foram os malditos timeskips. Quando a guilda conseguia ser a melhor, tome timeskip e lute para ser o melhor novamente…
    De resto, os pontos bons e ruins, já tinha experienciado em outras obras e nem foi tão marcante.
    Fairy Tail foi um bom shounen, mas como a maioria, foi ficando repetitivo até acabar. Para mim, 7,5/10.
    Eu não amo FT, mas também não odeio. Não me marcou muito, mas quando vejo algo relacionado lembro dos bons momentos que passei assistindo/lendo, principalmente o arco Edolas.

    • eder rodrigues da conceição

      Que o Machima sabe construir boas histórias (como você mesmo disse, no arco de Edolas, é bem interessante) não tem o que reclamar, o problema é que ele se perde na sua própria narrativa, e deixa de explicar certas nuances importantes. Edolas é uma boa saga, mas se perde em um aspecto: Lisanna.

  • Douglas

    Namoral eu amo e odeio Fairy Tail, sei lá já tô acostumado
    ( e nem vem, Naruto também tem o Discurso no Jutsu pra vencer os inimigos kkkkkkkk )

    • eder rodrigues da conceição

      Hahaha. Naruto: Ame ou Odeie kkkkkk

  • Eu não gosto dessa série principalmente pelo fato de puxarem fanservice até o talo, mas ela tem uma popularidade boa por aqui e por isso deveria receber um tratamento melhor. Até hoje nenhuma distribuidora por aqui se interessou de fato na série, fora um pequeno alarde da Focus Filmes feito anos atrás que não deu em nada. Isso é de certa forma estressante não só por isso, pois diversos animes além desse também são populares o suficiente para investirem melhor por aqui, mas o máximo até hoje só mesmo o Crunchyroll para ajudar com uns episódios legendados, nada além disso.

    • eder rodrigues da conceição

      Infelizmente, a cultura dos animes por aqui caiu muito, ainda mais com a descontinuidade do saudoso Animax. Nos últimos anos, tem voltado a crescer novamente, muito pela chegada dos streammings, como a Netflix e a Crunchyroll. Mas o que precisamos, na minha opinião, é de canais de TV, tanto aberta, quanto fechada investirem pesado nos animes, assim como foi a Locomotion, no final dos anos 90.

      • Dark Leon

        Verdade mas infelizmente só temos a Rede Brasil que está investindo em anime na tv aberta porém com muitos erros e exibição tensa com cortes de encerramentos, prévias ,episódios pulados etc etc

        • eder rodrigues da conceição

          Sim, isso incomoda bastante. Por exemplo, em CDZ na Rede Brasil, não sei o porque, mas a abertura não é trocada quando chega a saga de Odin e de Poseidon, mantendo a mesma abertura antiga do Santuário.

    • Dark Leon

      Fico na esperança que Fairy Tail e My Hero Academia venham dublados pela Cruncyroll ano que vem para mais pessoas conhecerem estes animes e o hype pra terceira temporada ajudaria de certa forma a Cruncyroll trazer Fairy Tail dublado e de preferência no Rio de Janeiro.

  • bewusstsein

    A indústria de animes necessita de renovação. A maioria dos animes falam de magia. É cansativo. Existem temas mais interessantes. Shingeki no Kyojin e Death Note saíram da “zona de conforto” e se saíram muito bem.

    • eder rodrigues da conceição

      O comodismo da indústria é algo realmente a se pensar, por exemplo, já parou pra pensar quantos Isekais existem por temporada, ou por ano?

    • Luan Kayro

      É aquela coisa, não se mexe em time que está ganhando, enquanto essa fórmula fizer sucesso vão continuar fazendo, um exemplo é Boku no hero e Black clover que são clichezões e fazem bastante sucesso.

      • eder rodrigues da conceição

        Concordo Luan que enquanto tiver fazendo sucesso, continuarão a produzir animes assim, porém a casos e casos. Boku no Hero é um anime que apesar de ter características de chiche, ele sabe trabalhar muito bem uma história e dividir atenções e dar espaço de tela para personagens secundários e fazer muito bem isso, diferentemente de outros animes, como por exemplo Naruto.

        • Luan Kayro

          Isso é verdade, eu vejo Boku no hero como um Naruto evoluído, por fazer o que Naruto devia ter feito, dar mais espaço para os outros personagens.

          • Fala como se BnH desse espaço para seus personagens secundários, os pesos são os mesmos….

    • Será mesmo? Ou vocês apenas se focam nos animes populares e não consomem aquelas mídias que ficam nas entrelinhas da temporada? Porque toda temporada você encontra ótimas mídias distintas e que fogem desse padrão de “animes de magia, isekai, e@#hi, battle shounen” ou que tenha propostas bem interessantes (O que também se é boa é outros 500) mas ter tem….

      • Luan Kayro

        Não e questão de focar, são os que fazem mais sucesso, se essas outras ficam em entrelinhas provavelmente é por não se destacarem, então ainda faz mais sentido continuar fazendo o que dá certo.

        • Mas elas ficam nas entrelinhas porque não é um tipo de mídia feita para agradar massas, algumas são até mais para um nicho especifico. Obras que seguem padrões sempre vão existir por ser um tiro e risco que as produtoras acha mais fácil de acertar e não sair prejudicado mas sinceramente generalizado esse comentário que respondi, vocês reclamam da falta de variedade mas não procuram acompanhar outras mídias foras as de grande sucesso das temporadas, se nem vocês dão uma chance para eles como querem ainda que surjam obras que fujam da caixa?
          E essas obras nas entrelinhas ganham bastante elogios e seu devido destaque moderado, mas não é um hit ou algo popular (Como Shouwa Rakugo de exemplo).

          No fim vejo essa reclamação como futilidade…. é como falar que a indústria cinematográfica de hollyhood só se foca em filmes de ação/family repetitivos só porque vê os blockbuster do ano, mas nunca procuram ir atrás de fantásticos filmes menos reconhecidos que não ganha apelo de um público gigante.

          • eder rodrigues da conceição

            Alguns gêneros estão super saturados no mundo dos animes, mas enquanto fazer sucesso, vão continuar fazendo.

          • Mas isso meio que virou a lei natural desde sempre, sempre haverá saturação, sempre que algo der certo vão repetir a fórmula até se desgastar ao máximo, essas indústrias de entretenimentos sempre vem com esse pensamento comercial… Hollyhood então foi o maior exemplo, sempre com suas eras seja pelos tempos de filmes de faroeste ou a que estamos vivendo agora da era dos heróis mas não quer dizer que não exista outras ótimas obras fora dessa curva que infelizmente quase ninguém tem a pretensão de pesquisar e ver.
            A pessoa precisa se informar melhor se acha que nas temporadas de uns 50 animes só tem anime de magia e saturados e os últimos e únicos animes diferenciados dos últimos tempos foi SNK e Deaht Note chega a ser mais hilário ainda.

    • Pablo Soares

      Monster também

    • Acirrando a luta

      Eu acho que muito mais cansativo está esses temas com tecnologia, de cada 10 animes que sai pelo menos 8 é sobre o futuro, isso torra a paciencia, eu até aturo mais animes com magia mas não aturo mais essas bobagens tecnológicas, futuristicas afff isso daí já esgotou a paciencia.

  • accident of birth

    o shonen famoso mais fraco, se assisti anime a mais de um ano e tem mais de 15 anos é dificil aturar

    • Char

      Foi graças a Fairy Tail que comecei a assistir animes legendados :v

      • accident of birth

        também, quando tinha uns 13 anos tentei rever 1 ano depois e vi o desastre que era

  • eder rodrigues da conceição

    Nanatsu no Taizai é também um anime que morde e assopra. Tem gente que odeia, que acha mais do mesmo e tem gente que gosta, e acha que tem características diferentes de outros Shounens. É um bom tema também.

  • Otto

    Fairy Tail e o meu anime favorito, para ser sincero.

    As opening são S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-I-S.

    Mas tenho que concordar que tem um fanservice nele. Mas nao me importo. Àquele anime me marcou de uma forma; uma marca que ficará para sempre. E simplesmente Fairy Tail <3

  • toygame lan

    Fairy Tail começa bem,mas depois é ladeira a baixo a qualidade.

    • eder rodrigues da conceição

      Mal comparando, é a mesma relação que podemos fazer com Tite Kubo com o final de Bleach.

  • Mr.L

    Quando fui ler FT eu já esperava me deparar com uma obra simples,mas o protagonismo do Natsu extrapola os limites do aceitável, lembro de um arco em que um cara limpa o chão com o Natsu e depois com o Makarov,pra minutos depois o Natsu derrotar o cara que sequer era o Boss do arco.

  • Thiago Gabriel de Melo

    Eu particularmente amo fairy tail, apesar dos defeitos, que tem esses mesmo que a análise citou, tirando a falta de sangue que no mangá tem bem mais que no anime, que esse sim falta demais, e é um defeito, mas é porque eles censuram, não porque falta sangue de fato obra, e quanto a mortes, eu concordo em partes, eu peguei uns spoilers do mangá e se foi como vi foi zuado, mas até onde eu foi no anime, teve mortes boas e impactantes para a obra, mas concordo em partes, e es outros defeitos concordo totalmente, mas mesmo assim eu gosto demais dos personagens, do universo, das lutas, dos dragoes, enfim eu amo essa obra, ela me cativou de uma forma bem grande e estou aguardando ansioso pela nova temporada em outubro.

    • eder rodrigues da conceição

      No mangá tem muitas partes que são interessantes realmente, e que no anime são cortados. Fairy Tail tem mortes impactantes, porém são poucas de grande importância. Quando o Machima constrói uma história muito boa que culmina numa morte, ele de alguma maneira louca, traz o personagem de volta, e é isso que mais a obra peca, na minha opinião.

  • Filipe Rodrigues Ferreira

    Talvez pq o criador de NNT era assistente do Mashima qnd ele fazia FT, e os dois se passam no mesmo mundo

  • Magico

    Pode esperar sentado porque em pé cansa.

    • Zarchary Rabbido

      Esse dai é otimista dms se possível até pós mort ele continuará a pensar

  • Léwow

    Não e lá essas coisas mas eu assisti tudo pq tava entediado e não tinha nada pra vê no sábado

  • Eduardo Jose de Andrade

    Comparam com fairy tail pois é sim um clone de FT, só que melhor, ok não tão clone assim mas é muito parecido, protagonistas da mesma raça, e%chi, magia e magos caindo na porrada, é tipo o mecard com beast wars/transformers, mas de nanatsu no taizai gostei.

  • Eduardo Jose de Andrade

    Cara ainda bem que droppei FT no episódio 4, assistia e mesmo entusiasmado, eu sentia uma aversão, e é porque o anime realmente não era sério, tipo até com DBZ eu sentia mais tensão e uma realidade mais difícil, fora a censura que o anime teve com sangue e ferimentos (mas a p$rr@ do e%chi não censuram não né? hipocrisia) e mesmo assim vi várias críticas de quem já viu, droppou depois de 100 episódios etc, e é chato pra mim, com one piece eu vi mais spoilers e mesmo assim quero ver, só que FT o final do mangá foi ruim demais! ainda tô em dúvida se é FT ou Bleach com desfecho mais lixo que já vi, outro ponto bom de FT são as aberturas, algumas são excelentes mesmo!

    • eder rodrigues da conceição

      Fairy Tail tem aberturas ótimas, como Believe in Myself e mais introspectivas como Masayume Chasing. Neste quesito nem tem o que reclamar. Agora qual final é pior, se Bleach ou Fairy Tail, essa é difícil dizer haha.

      • Eduardo Jose de Andrade

        Mesmo tendo curtido Bleach e odiado o final, senti uma decepção tão grande quando li o final de FT, mesmo não tendo lido outros capítulos e pouquíssimo do anime, essa foi a força de FT.

        • eder rodrigues da conceição

          Espero que a A-1 Pictures mude o final de Fairy Tail do mangá. Shinji Ishihara altere esse final no anime pelo amor de Deus.

          • Eduardo Jose de Andrade

            Que o shipp NaLu seja feito né? uma coisa foi Inuyasha que mesmo enrolando muito, no final formou os casais que queríamos pois era atiçado pela própria obra, mas FT decepcionou geral.

  • Acirrando a luta

    A culpa para o desenho não ter mortes é do politicamente correto? ah tenha dó né, tem um monte de desenho de sucesso que tem morte adoidado, só pra citar o one piece, esse papo é bem furado.

    • eder rodrigues da conceição

      Você não entendeu o que eu quis dizer. O politicamente correto vem tomando conta cada vez mais dos animes, como falei, Dragon Ball Super é um exemplo claro disso. Eu entendo o lado deles, de não ter sangue e de ser politicamente correto, pois assim você agrega mais pessoas para assistir sua obra, fora que depende muito do horário de exibição lá no Japão.

  • ailton

    Se tem fã tem service!

    • eder rodrigues da conceição

      Sou fã, quero service!! hahaha.. #referências

  • Andre TR

    Realmente o que estraga muitos animes que deveriam ser ótimos é o excesso de fanservice e cliches demais.

    • eder rodrigues da conceição

      Mas infelizmente, grande parte destes animes vendem bastante, então fica até difícil não falar sobre eles. Mas ta aí um ponto interessante a se abordar.

  • Lucks

    Muito boa a sua análise, mas eu gostaria de pontuar alguns pontos, tantos positivos quanto negativos. A começar pelos positivos, você esqueceu de citar, que Fairy Tail tem alguns personagens bastante interessantes, que apesar do autor tentar estraga-los ao longo da obra, ele não conseguiu por completo, como a Erza e a Juvia, eu particularmente acho que ambas merecem um destaque pelas seu carisma e características próprias. Agora comentando o ponto que você colocou como ponto positivo de os personagens terem características próprias, porém você esquece de citar que a grande maioria dos personagens tem características extremamente genéricas e estereotipadas, o próprio protagonista o Natsu(não é a Lucy) é o maior exemplo que encontro de um genérico de protagonista de shonnen, o autor simplesmente pegou tudo que há de genérico em todos os protagonistas de shonnen e jogou lá, sem nenhuma adição ou diferencial.
    Agora pontuando os pontos negativos que você deixou de citar vários, o que é normal, pois Fairy Tail tem tantos pontos negativos que citar e explicar todos iria formar uma tese de mestrado, mas você deixou de citar o que para mim são os principais pontos que tornam FT uma das piores obras que eu já assisti/li, que são, o enredo repetitivo e a falta de desenvolvimento da história e dos personagens, no qual pode ser resumida em uma única explicação. O autor de Fairy Tail(Hiro Mashima) não teve muita criatividade em desenvolver o enredo de sua obra, por que eu afirmo isso? Porque ele utilizou uma formula, ou melhor dizendo uma receita no qual ele utilizou na composição de todos os arcos da obra, ou melhor na sua grande maioria, o que tornou o roteiro da obra bastante repetitivo, se você parar para notar todos os arcos de Fairy Tail segue uma regra simples que é:

    A Fairy Tail vai enfrentar uma organização vilã, sei lá, uma guilda das trevas.

    Essa guilda é composta pelos integrantes normais, os magos, tem os magos que se destacam, digamos que
    sejam os magos classe S dessa guilda e tem o seu mestre.

    A Fairy Tail vai ter uma leve dificuldade para derrotar os inimigos, principalmente os inimigos de classe S, mas
    no final com a ajuda do poder da amizade eles vão derrotar, e no final quem vai enfrentar o grande boss, o
    chefe o mestre da guilda é sempre o Natsu, não importa se o arco é focado na Erza ou em qualquer outro
    personagem, quem tem que enfrentar o vilão no qual o outro personagem deveria derrotar para ter o seu
    desenvolvimento é sempre o Natsu, e com a ajuda do poder da amizade e do protagonismo ele sempre
    derrota o vilão.

    Termina um arco em Fairy Tail e não acontece absolutamente nada, nenhum dos personagens morre, a história não progride, o protagonista não fica mais perto de alcançar o seu objetivo, você não tem um desenvolvimento de personagens, claro que tem arcos que não seguem muito bem essa formula, tem um arco ou outro que a história tem uma progressão, mas a maioria é isso aí, Fairy Tail parece ser um grande compilado de arcos fillers, onde a história não anda, os personagens não são desenvolvidos, onde não acontece nada de interessante e tudo termina feliz.

    • eder rodrigues da conceição

      Concordo com você Lucks. Alguns pontos eu deixei de mencionar, por exemplo o passado da Erza, e certas situações que dão maior enfase naquilo que queria dizer. Como você mesmo disse, se eu parasse para escrever cada detalhe, seria basicamente uma tese de mestrado ha.

      • Lucks

        pois é e detalhar cada detalhe entre pontos positivos e negativos. Imagine o trabalho…

        • eder rodrigues da conceição

          Sim, realmente dá bastante trabalho,mas ter pessoas assim como você Lucks, comentando e tendo uma outra visão e outras opiniões sempre é bem vindo. Parabéns e obrigado!!

  • Rafael Bueno

    cadê os Pontos Positivos uai?

    • eder rodrigues da conceição

      Estão na primeira parte Rafael, logo depois da introdução do texto.

      • Rafael Bueno

        ah ok foi mal ai ^^;

  • eder rodrigues da conceição

    Psycho Pass eu realmente não assisti, mas Ajin posso falar sobre. Realmente é uma obra muito boa, com questões interessantes sendo abordadas.

    • Raiho Kuzunoha

      Só vai mano Psycho Pass é muito bom. *-*

      • eder rodrigues da conceição

        Esse vai para a minha lista para poder assistir. Vlw pela recomendação Raiho.

  • eder rodrigues da conceição

    A Lucy e o Natsu, já tiveram várias chances de ter um romance mas o Machima só deixa nas entrelinhas que pode ter algo. Lamentável. Mostra na tela haha

  • eder rodrigues da conceição

    Eu também espero que seja dublado, mas o problema de dublar Fairy Tail cai na mesma questão de não termos One Piece totalmente dublado em português: o número grande de episódios, o que encareceria bastante para a empresa contratar um estúdio. Então acho muito difícil dublarem esses animes.

  • Matheus Santos Xavier

    Eu odeio e mesmo assim li o mangá até o final kkk
    Não me entendo

  • Francisco Michael

    Esse é outro anime que só assisto um dia se for com Dublagem BR!!

  • eder rodrigues da conceição

    Jojo e Fairy Tail são mais difíceis de ser dublado, pelo número de episódios grandes que ambas as obras possuem. Isso encareceria bastante para a produtora querer dublar. Mas não é impossível de acontecer, só acho bem difícil. Agora Boku No Hero, já é bem mais possível acontecer.