Little Battlers Experience é licenciado para a América Latina

Por Nielsen Souza em

Divulgação. © Level-5

Divulgação. © Level-5

A distribuidora Marvista Entertainment, que anteriormente era responsável pelo licenciamento de Digimon e Power Rangers na América Latina, anunciou ter adquirido os direitos do anime LBX – Little Battlers Experience (Danball Senki) para toda a América Latina. Aqui no Brasil, a série está nas mãos da Sato Company desde o ano passado, mas até o momento não fechou nenhum acordo para sua exibição.

Em comunicado, a Marvista expressou alegria em se unir a Dentsu Entertainment, responsável pela adaptação ocidental, para lançar LBX no continente, e está confiante que vai ser um grande sucesso.

Criação da Level-5 (Youkai Watch), Little Battlers Experience vem fazendo um enorme sucesso nos Estados Unidos onde é transmitido pelo Nicktoons desde agosto do ano passado. A primeira temporada conta com 26 episódios, mas uma segunda, com o mesmo número, estreia por lá ainda este ano. A produtora Dentsu Entertainment ficou responsável pela a adaptação.

A trama se passa em 2050, onde são comuns batalhas entre os LBX, pequenos robôs de combate. Certo dia um garoto chamado Yamano Ban recebe um LBX chamado Achilles-V, e juntos descobrem que terão a difícil missão de salvar o mundo.

No Japão, o anime também rendeu bons índices de audiência para a TV Tokyo ao longo de seus mais de 100 episódios produzidos pelo estúdio Oriental Light and Magic (Pokémon, Deltora Quest).

Com este reforço é possível que agora, a Sato Company finalmente consiga oferecer Little Battlers Experience a canais de TV, ou até mesmo a Netflix, potencial cliente da distribuidora brasileira.

Comentários
  • Lucas N

    Que adaptações esse anime recebeu aqui no ocidente? Nada contra, até aceito algumas trocas de nomes e tals, houve censura ou algo do tipo? Porque Digimon foi demais =/

    • Nielsen Souza

      Além dos nomes, que você pode ver aqui (http://nicktoons.nick.com/shows/lbx/characters/van-yamano.html) devem ter alterado diálogos e suavizado alguma cena “violenta”. Sabe como são os americanos com estas coisas.

      • jaiden chiba

        No Japão também modificam desenhos estrangeiros, aumentam
        a comédia em diálogos , pulam episódios para adequar ao
        suposto gosto local. E a censura americana não é necessariamente
        anti-animes, Doctor Who também deverá sofrer edições para
        passar no Disney XD americano, e a censura inglesa também
        tem seus exageros. Não existe país com regras de classificação perfeitas.

        • Nielsen Souza

          Sem dúvida, mas o histórico dos nossos vizinhos traumatizou muitas pessoas. Esta série, assim como B-Daman, não grandes edições.

          Acho que o problema não são as regras, mas sim quando um país impõem aos demais as mudanças feitas por eles. Cada um deveria ter a cópia original e fazer suas prórprias adaptações.

        • BigBlue

          Essa dos cortes em cada país é verdade, só que ainda vai ter otako reclamando dos cortes, mesmo o próprio Japão fazendo cortes em desenhos estrangeiros também… mas esse povo é assim, faz parte do que eu gosto é perfeito e picotação é inaceitável, e quando é o inverso, só falta dizer que não quer passar na integra um desenho ocidentalizado porque seria ruim para as crianças de lá…

  • Jef

    Deu pra notar que desde o ano passado já dá pra confirmar que anime tem espaço na TV paga. Agora TV aberta já é outra coisa. A falência do bloco TV Kids na RedeTV mostra isso. Outra coisa é que a SBT não fez sequer uma pronúncia sobre a ~possível~ aquisição de Digimon Fusion desde a tentativa da Saban.

  • Lonezard

    O chato é que provalvelmente esta anime será dublado em Sp… com as mesmas vozes boas , porém repetidas, bem que a Sato poderia dublar este anime no Rio de Janeiro, até para dar uma mudada nas vozes , pois a maioria dos animes são dublados em São Paulo e isso gera uma ENORME repetição de vozes………

    • Jef

      Anime dublado no RJ tá faltando mesmo. Mas até aonde eu sei a dublagem de SP tá oferecendo novos dubladores na área, e isso inclui os animes recentemente dublados lá, como “Robô Gigante”, “Sidonia no Kishi” e “B-Daman Crossfire”, ambos disponíveis na Netflix. Uma coisa que eu notei é que um desses “novos dubladores” tem uma dubladora que começou na fandublagem (e também é cosplayer :v)
      Descobri isso no elenco em português do anime B-Daman Crossfire pelo Anime News Network, e é uma tal de Letícia Celini (aqui o link http://www.animenewsnetwork.com/encyclopedia/people.php?id=84353)
      Bem, antes uma dublagem lá do que uma dublagem amadora em Miami, não é mesmo?

      • Kevin

        Ela não é “nova”, dubla desde 2009. A primeira coisa que ela fez inclusive foi a Agarthia em CDZ Lost Canvas.

        • Jef

          “nova” não é, mas não participou de muitos elencos (de animes) nesse site. Tem alguns bem veteranos (geralmente os de RJ) que fizeram no mínimo uns três papéis em animes, segundo o que eu costumo ver nesse site. Um exemplo é Marta Volpiani, a voz da Dona Florinda :v
          http://www.animenewsnetwork.com/encyclopedia/people.php?id=73806

  • Gustavo

    Torço pra que seja na Nickelodeon.

  • Shai

    Se for pro Netflix terá o mesmo desenvolvimento Doraemon e muitos outros animes “exclusivam” tiveram, nada! Sucesso só se entre os Chilenos e Argentinos, pois no Brasil animes inéditos não tem nenhuma esperança tanto com as crianças mais novas quanto com o público mais velho.

    • BigBlue

      O que mais vejo é criança vendo Hora de Aventura, Gumball e os novos desenhos da Marvel, fora os tablets e os consoles de videogame. O público mais velho costuma ser somente saudosista e pra eles, os animes bons são aqueles que passaram na televisão dublados, quando eles eram adolescentes e crianças, e são daqueles que desejam mais que seus animes sejam reprisados, do que estrear novos, logo, eles cansaram de esperar e baixaram logo na internet mesmo.

      Na verdade, hoje desenho na televisão, se lucra mais nos originais desses canais infantís, mais do que qualquer outro desenho, e é lá que eles investem, pois em tempos de internet e de Netflix, o reportório de escolhas e também o público fiel para animes, não tem como sustentar a demanda, e visando o lucro, é lógico que os estúdios vão investir no que rende mais, que no caso, não são os animes agora. PlayTv está colocando mais animes agora, porque o público dele diminui muito, e continua a diminuir, e ele está tentando abrir um espaçinho para o público otaku, mas como é um canal com pouco fama, que inclusive só conheci porque meu primo estava assistindo Playhit na casa de meu avô, há alguns anos.

      Mas digo aos otakus que não se preocupem, pois na era da internet, não tem como os animes “sairem de cena”, pois a internet e a sua ampla divulgação e seu catalogo imenso legendado, não deixará que o mesmo ocorra, é só que os animes não vão brilhar mais tanto assim, e é só questão de aceitar os fatos.

  • Marcos

    Meu deus , que nome feio , acho que essas adaptações de nome são tristes.

  • eduardo

    parece ser um medabots moderno pokeminizado,mas espero que faça sucesso no Brasil para as crianças serem felizes e nao viverem em ”zap zap” ou outras merdas que nosso querido pais oferece

    • GustavoH

      Medabots pokemonizado kkkk, eu pensei mas num medabots bakuganizado.

      PS: “Zap Zap” é oferecido em quase todo o mundo, não culpe o Brasil, e sim os brasileiros kkkk

    • BigBlue

      Sei… e ver desenho animado para ficar comprando brinquedo é tãoooo divertido quanto jogar no celular, não é ?

      Já pensou que o problema é as crianças não brincarem umas com as outras, invés de não assistirem desenho na televisão ?

  • Phillippi Roberto

    Como que este anime esta com seus direitos para a Sato Company,então aqui pode ser o unico pais a mostrar a versão original,já que a SC é uma distribuidora e não gosta de trabalhar com terceiros

    • Jef

      Bem lembrado cara, concordo com você pois quando vi Naruto Shippuden passando na PlayTV (licenciado pela Sato no Brasil) os créditos apareceram com as letras japonesas originais e não os créditos da Viz Media. Também passei a acompanhar o anime “Robô Gigante” na Netflix, outro anime que a Sato licenciou aqui, que também veio sem adaptação tanto no texto quanto na história.
      Como o dono dessa empresa (que também é o sobrenome dele) é descendente de japoneses (e notei que trabalhava muito com tokusatsu no passado) não duvido que ele resolva trazer mais animes pra cá caso algum canal (até já imagino qual seria) se interesse bastante no LBX e em outros animes.

      • Phillippi Roberto

        Pense numa coisa: imagine se a Sato Company se unisse com a Angelloti Licensing.Teriamos uma nova e mais complexa distribuidora que só aceitaria animes originais,e provavelmente Tokusatsus

        A empresa de Nelson Sato foi a que trouxe Cybercop para ca,como também a versão americana de Gridman(a distribuidora queria o original mas foi impedida de trazer não por causa da DiC e sim pela Tsuburaya,que até aceitou a americanização da serie,que originalmente não fez sucesso na sua exibição original em 93,o que é muito estranho,e ainda por ser uma serie de Kyodai que estreou 3 anos antes de Ultraman Tiga)

        • Jef

          Acho que se a PlayTV fizesse parceria com ambas distribuidoras acho que iria explodir de animes lá. Só dizendo.
          HUEHUEUHEHUUHEHUEHEU

          • Phillippi Roberto

            Iria mesmo,mas como que é um canal musical,a emissora infelizmente teria que moderar nas suas aquisições japonesas

    • BigBlue

      Aí poderia complicar a situação…

      Certos programas precisam sofrer certos cortes para serem exibidos nas emissoras de televisão, afinal, a CN e a PlayTv não são a Locomotion e a Manchete, que colocavam todos os desenhos deles na “integra”. Cortes e alteração de ritmos e temas, são necessários para se adaptar em qualquer país, inclusive o Japão faz esse tipo de modificação para passar algum desenho estrangeiro lá. Acho que Naruto Shippuden e Robô Gigante, só vieram daquele jeito, porque era a Netflix, e porque são desenhos famosos e “clássicos” ( no caso do Shippuden, é que ele é a continuação de Naruto).

      Fora que para colocar mais animes, ele tirou programas músicais que passavam reprisado a noite, para abrir espaço, e já tem gamer desistindo do canal, porque o programa “Playhit” só está passando agora ás 16h, e de 4hrs da manhã. Eu tenho muitos amigos gamers mesmo que estão abandonando o canal, por causa dessa retirada de certos programas musicais a noite.

      Fora que a PlayTv ainda não aderiu e nem tem previsão de aderir, o canal em alta definição, e com o MTV e a VH1, o pessoal está abandonando os programas de videoclipe. Tudo vai depender de como o dono da emissora vai ajustar os horários. Eu mesmo não tenho como gravar o programa Playhit no meu aparelho da NET, e todas as minhas tardes eu tenho aula, e estou perdendo sempre o programa,

      Abandonei o canal, até eles ajustarem os horários do programa Playhit, afinal é melhor e mais importante programa do canal para mim, e eu não podendo vê-lo, dou adeus ao canal.

      O problema é todo esse. As vezes as reprises são para que o pessoal que não está disponível em um certo turno possa assistir, fora que significa tirar um programa que algum fã, concerteza gosta, e o abandona.

      Na época do Animax, o desenho que eu mais gostava era o Super Milk-Chan Show, que tinha uma dublagem engraçada e genial, e infelizmente, nunca achei um único episódio mais na internet ( sim, gosto desse desenho, mas por causa da dublagem, que é muito diferente do anime, ou de versão americana, e a dublagem ficou tão engraçada e boa, contando inclusive que a conta de compesa estava atrasada em um capítulo, hehe ), e quando ele saiu, eu passei a assistir mais as séries Teen do canal, até abandoná-lo.

      Na verdade lá temos fãs de tal desenho, com tal dublagem, e não simplesmente fãs de animes, ou de desenhos japoneses, afinal muitos dos expectadores são pessoas que só assistem um desenho que eles gostam, pois fazem mais coisa da vida. Mas, veremos como será, pelo menos peguei a melhor época do programa, que tinha até aquele videoclipe de beyond good and evil 2, com a música de fundo de amy winehouse, só o futuro dirá o que vai acontecer, mas já abandonei o barco até eu poder assistir meu programa, o programa voltar a passar a noite, eu volta a ver o canal, só queria dizer isso.

      • Jef

        Sobre o que você comentou sobre os games e o PlayHit, pra mim eles sempre foram a marca registrada da PlayTV, desde a época que era um canal aberto. Acho que eles nunca abandonaram o tema desde então. Mas depois do que você disse, fiquei meio assustado. Parece que a PlayTV tá diminuindo o espaço dos games pra pôr os animes, e acho isso meio injusto. Ambos temas deveriam ser bem focados no canal, principalmente o dos games. Se a PlayTV abandonar o tema é até provável que o canal vá por água abaixo.

        • BigBlue

          Vou te dar só um exemplo de alguns casos que houveram no passado, mas espero que a PlayTv ajeite o horário para voltar a atrair público. Antes, o canal Locomotion era um sucesso, principalmente nos seus primeiros anos, e eles passaram desenhos incríveis como Duckman, O Crítico e Dr. Katz. Meu Super Milk-Chan chegou no canal, e eu gostei do desenho por causa da dublagem mesmo, pois vê-lo tanto em inglês, quanto em japonês, ficaram ruins, e a “abrasileirada” do desenho foi essencial, mas certo, aí foi cada vez mais o canal aumentando o número de animes, e tirando as animações adultas, que levavam um público grande ao canal. Até aí parece normal, não é ?
          Só que, tinha como competidor agora a Cartoon Network, Fox Kids e a Nickelodeon, chegando nos seus auges, e todos exibiam, além de alguns animes, uma grande variedade de desenhos, e muitos ainda com um humor acido que demorou para muitos perceberem.

          Resultado : Outra emissora comprou o canal, já que não dava mais lucro suficiente para suprir a própria grade, e deu no que deu. Daí, provavelmente os investidores perceberam que valia mais a pena investir em desenhos infantís, e começou a série de desenhos mais violentos serem cortados, e hoje a maioria dos programas em canais assim, se compõem de desenhos bizarros e de comédia, e live-actions.
          Isso é uma lição que deveria ser aprendida. Quando se coloca algum tipo de desenho novo, tem de se estudar que grade vai acabar tirando, e que público vai acabar se afastando. E você vê que a CN com pouquíssimos animes, tem muita audiência, mas imagina se eles acabarem tirando um de seus carros chefes durante a manhã e a tarde, que é quando as crianças estão na televisão normalmente ( ao menos as que assistem), e a noite é o período aonde tem mais gente em casa, e normalmente, a noite o horário poderia ser utilizado, por exemplo, para colocar novos desenhos, e que eu não duvido que eles usem esse horário para al futuramente. Mas tirar seus carros-chefes de certos horários, hoje pode significar colocar uma corda no pescoço da CN, e ainda mais com o crescimento da Disney tomando bastante audiência, e fora que a Turner, dona da CN, ainda comanda mais três canais infantís ao menos, a TBS, o Boomerang e o Tooncast, ou seja, a situação não é tão simples.

          Credo, eu acabei até me esquecendo de mencionar a PlayTv. Olha, o que ela não pode fazer é focar no público otaku, ao menos no Brasil. O porque disso… porque otaku em maioria não compra produtos licenciados ou dvds, otaku xinga o canal por causa da dublagem e do corte, e deixa de ver tal anime, em comparação aos adultos da novela e do futebol, junto com as crianças com seus desenhos infantís, e os jovens em seus computadores, tablets e videogames… os otakus não sustentam um canal inteiro de animes, então eles precisam atrair vários tipos de público para sobreviver. Ainda hoje, o que dá mais lucro e audiência ao canal são os gamers que assistem a seus programas sobre jogos, como o Playhit, por ser sua propaganda de produtos, mas se eles acabarem tirando o programa que os gamers gostam.,. ou eles vão precisar de um milagre para sobreviver com o público otaku, ou falem.

          Mas, como voc~e, espero que eles ajeitem a programação para não perdermos nossos programas nesse canal.

          • Jef

            Sobre essa frescura de “otaku” que você falou, na minha opinião se divide em três tipos de pessoa:
            -os weeaboos (tudo o que vier fora do Japão é um lixo; odeio anime dublado etc.)
            -os insatisfeitos (aff, qualidade péssima; aff, episódios repetem o tempo todo etc.)
            -e os “pirateiros” (aff, quem precisa assistir repetitivamente pela televisão se no AnimeQ dá pra assistir tudo na íntegra e de graça? HUEHUEHUE BR BR)
            Resumidamente: ambos são ignorantes e se fazem de “otaku”. Quando otakus eram só pra ser típicos fãs de cultura pop nipônica, também acabam se misturando com esses bando de frescos. É como se fosse aqueles vândalos quando se misturam com aqueles manifestantes de SP: acham que estão “manifestando” destruindo patrimônio público. Já o “otaquinho” se faz de otaku só porque vê anime legendado em um site qualquer e acha isso bem mais eficaz que assistir um anime pela TV ou comprar um DVD/Blu-ray original do anime.

          • BigBlue

            Verdade isso, por isso respeito qualquer gosto que a pessoa tiver, desde que não exagera muito como os tipos de otakus que você citou, mas com isso, meu irmão é otaku, tenho vários amigos otakus, e eu sou o que caracterizam com cinéfilo, e não costumo curtir muito obras que enrolem muito, e daqueles caça niqueis, por isso, não é que eu não curto anime, eu só não tenho paciência para ver desenhos ou séries que enrolam muito, só para extender a série e lucrar mais, fora a questão de eu não gostar de clichê, e de falta de originalidade.

            Respeito obras de qualquer país, porque mesmo por detrás de seus clichês e tudo, ficam entre eles histórias boas e com uma originalidade boa. A verdade pelo qual não se deve esperar muito, é que difícilmente eles vão colocar na televisão os animes com boas histórias e interessantes, e invés disso, só colocam os caça niqueis e os “modinha”, por isso que minha expectativa não é grande quanto a animes.

            Com o que disse acima, eu apoiava muito o Animax e a PlayTv, no inicio quando passava Mushishi, Death Note, e animes desse estilo, mas ao começar a colocar animes “modinhas”, aí ficou “inassistível”. Pra mim o importante são as histórias, e é justamente por isso que não curto muito esses novos filmes Marvel, por exemplo.

            E com isso, ficaria meio insustentável para o canal, colocar muitos animes ao mesmo tempo, fora que com certeza, quando forem estrear os novos, terão de tirar outro anime no lugar, para não ter de tirar os programas de jogos.

            Eu sempre acesso a esses fóruns, porque sou fã de Power Rangers (apesar de não assistir esses novos, que estão bem ruins), e eu ví vários otakus discutindo que iriam deixar no canal na hora do anime, com a tv desligada, só para dar audiência e para as crianças e os mais jovens assistirem, e para talvez o canal colocar mais animes, e muitos confirmaram que já faziam isso.

            O absurdo disso é o motivo desses otakus em específico colocarem no canal com sua “missão messiânica”, para popularizar os animes para os mais jovens. Parece até que esqueceram que a maioria dos jovens ficam jogando no videogame ou no tablet, eles assistem a CN e a Disney XD, eles assistem canais com MTV e VH1 para escutar músicas, e acessam a redes sociais e assistem suas séries e desenhos no computador…

            Você provavelmente quer mesmo assistí-los na televisão, e o respeito por isso, mas a esse pessoal que age de má fé como descreví acima, eu não tenho como simpatizar. Pra falar a verdade, eu lí na internet que a PlayTv já estava decaindo há alguns tempo, e eles estão tentando atrair o público otaku para o canal não falir. A verdade é que tão pouca gente está assistindo a esses canais alternativos, e estão se focando em canais de esporte, de filme, de música, e infantís, que os outros canais estão mesmo perdendo espaço, e a tendência é muito desses canais falirem.

            É triste a situação que está a PlayTv, apesar de muitos otakus por aí achando que ela está indo bem. A verdade é que se caras como eu não reclamarem e nem protestarem, eles não vão deixar programas como o Playhit em horários acessíveis, por exemplo, e não sei se você já acompanha o canal há alguns tempo, mas os programas para o público gamer estão piorando, inclusive o “Combo Fala + Joga” e “Mok”, que são os que eles reprisam a noite, mas o Playhit, que foi um dos únicos que não perdeu qualidade, só dá para assistir agora quem tem a tarde livre em casa.

            Sinto muita pena das crianças e adolescentes não puderem assistir mais a programas bons, que circulavam na televisão entre 1998-2003, mas os tempos são outros e eles estão assistindo pela internet agora, e acho que nunca mais teremos aquela boa dublagem de antes, mas os desenhos vão chegar, só que somente por meio de serviços On Demand, e assistir os legendados por fansubbers.

            Mas enfim, otakus nunca vão perder os programas deles, a não ser que sejam cancelados lá, e o que devemos torcer é que certos programas não sejam cancelados para podermos assistí-los até o final. E somente temos de esperar que o que vier é lucro, como sempre foi.

          • Phillippi Roberto

            Ainda bem que não faço parte em nenhum destes três tipos que você mencionou ,mas em questão do primeiro,era mais facil ter dito Gostar de Anime Dublado e este termo então serviria para aqueles que se acham Otaku gostando de animes censurados dos americanos(coisa que nunca rende na verdade)

          • Jef

            Parte do que você falou me fez lembrar da época que a PlayTV anunciou que iria voltar a exibir animes lá pro finalzinho de 2013. Não dava pra imaginar o quanto fiquei feliz com isso. O canal ainda fazia aquela surpresinha de não falar quais animes iria exibir. Tive até expectativas de que o canal exibiria School Rumble, pois no comunicado oficial do canal aparecia uma imagem estática do anime. Lembro também que o canal oferecia uma enquete para escolher o horário para exibir os animes, mas na minha opinião aquilo não prestou pra nada, pois eles ainda fizeram a bobeira de fazer outra enquete que fala sobre a mesma coisa.
            Outra coisa que achei desonesto da parte deles é que, quando ainda não exibiram anime nenhum lá, eles falaram que iriam exibir um anime “inédito” e outro “não inédito, o que não aconteceu. Pegaram dois animes descartados pela Sony Spin anos atrás. Por outro lado, isso foi uma boa jogada, dando pra perceber que a Sony não tinha mais o direito de exibição das séries. Eu até tive expectativa de que o canal exibiria mais animes, o que acabou acontecendo mesmo. Mas deu pra notar que atualmente só tem anime do tipo “famoso” lá. E daqueles com centenas de episódios ainda, que provavelmente a PlayTV vai levar uns cinco anos pra terminar. Outra coisa é que o canal deveria pensar mais em apostar em animes para um público diferente, como “shoujo” ou “seinen”. Você já notou que até agora a PlayTV só exibiu anime que se originou de mangás da Shonen Jump? Esse é o público otaku em geral aqui no Brasil. Quando se fala de anime por aqui, a maioria só pensa em Bleach, Naruto ou Dragon Ball. A PlayTV segue o ritmo dessa pista e satisfaz o público com esses animes. Tomara que eles saibam o que eles estão fazendo, pois eu era mais da época quando lá passava uns animes mais curtos e com temas diferentes, como Love Hina, ainda quando a PlayTV era canal aberto. Não acho que a programação de animes lá tá ruim (gosto de acompanhar Yu-Gi-Oh lá), mas acho que deviam pensar melhor em como vão organizá-la, ainda mais com a possível perda de outros programas como o bloco PlayHit em um futuro próximo, já tô chateado por terem acabado com o Ichiban que passava domingo D:

          • BigBlue

            Jef, pra falar a verdade, eu não estranhei a escolha desses animes pela PlayTv, afinal, mesmo nos programas de jogos, eles só selecionavam os populares, ou aqueles que as empresas de jogos lhe pagavam para colocara, para fazer propaganda. A PlayTv é tem como um dos donos, o filho de Lula, então não estranhe eles utilizarem só reprises ou caça niqueis.

            E sendo franco, acho que os únicos canais que já respeitaram os animes, foram a Tv Manchete e a Locomotion, e mesmo os animes “bem tratados”, foram os comprados dessas duas emissoras. A verdade é que os últimos animes shoujo não fizeram sucesso, como o Super Gatinhas, e a CN viu a mina de ouro em WITCH e posteriormente em Clube das Winxs. Seinens foram cortados por excesso de violência, de acordo com as emissoras dos canais.

            O politicamente correto e a censura estão acabando com a possíbilidade de vermos muitos desenhos decentos, e isso é fato. Se lembra do Animax ?

            O Animax podia dar certo, mas o canal decaiu por causa dos otakus, afinal, eles adicionaram pouquíssimas séries no início, e os otakus começaram a abandonar o canal e xingar, dá só uma olha nas únicas séries Live-Actions que haviam chegado no canal, para os otakus reclamarem (sei que são os descrito por você) (http://pt.wikipedia.org/wiki/Animax_Brasil), tinham filmes bons sendo lançados, inclusive filmes de anime, mas eles não olharam isso, e ainda tinhamos o programa Distraction e a série The Middleman que eram bons.

            A estratégia era para justamente chamar mais público para o canal, já que a competição por audiência estava a esmagando, e enquanto entrava alguns para ver essas séries que só passavam a noite e eram só 3hrs por dia, os otakus começaram a abandonar o canal aos montes, o canal não aguentou e desistiu dos animes, mas devido a forte concorrência também dos canais de séries, até o Sony Spin acabou. Mas sorte que nós temos os fansubbers e os serviços On Demand, para vermos os desenhos que gostamos. Do mais depende só das próximas ações da PlayTv, para ver se o canal irá sobreviver ou não, vide o fim inclusive do canal MTV Brasil, eles precisam organizar direito as coisas logo.

  • BigBlue

    Esse anime foi um dos últimos que assisti, e foi em meados de 2011. E digo que foi um dos animes mais tediosos que já assisti. Pokemon e Digimon ainda era assistível, mas esse aí… é pior que a adaptação de One Piece pela 4Kids ( muito pior! ), e esse é aquele típico anime caça niqueis para sugar dinheiro na compra de brinquedos. As crianças hoje só querem saber de Tablet, Smartphone e filme da Disney. Entre tantas opções que podiam colocar, escolheram logo esse… é pedir pra ter prejuízo.