Noir: mudanças no roteiro do live action

Por Nielsen Souza em

Se você ficou preocupado com a notícia de que os americanos iriam mesmo produzir uma adaptação para live action do anime Noir, então se prepare para más notícias. O elenco ainda não foi anunciado, mas já foram divulgadas informações nada animadoras sobre os personagens e enredo da série, que como esperado, terá muitas diferenças em relação ao anime.

Segundo publicado pelo site  Showfax, ao invés dos dias atuais, a trama será ambientada na década de 60, em Paris, onde vamos conhecer Mirelle Dubois (e não Bouquet), uma assassina fria e calculista, e Kirika, uma garota japonesa com idade entre 18 e 20 anos, que perdeu a memória após uma briga com Mirelle. Ela não se lembra do treinamento que passou nem da organização The Soldats.

A organização é descrita como um regime inspirado na seita “assassinos do Islã”. A série também vai apresentar novos personagens, entre eles:

Smith: agente da CIA trabalha para ganhar confiança da KGB, possui ligações com Mirelle.

John Lancaster: veterano da guerra da Coréia e namorado de Mirelle.

Alice: uma modelo traficante de drogas e ex namorada de John.

Yann: personagem secundário que apareceu na série original.

Noir conta com produção executiva de Sam Raimi (Homem-Aranha, Xena, Hércules) e Rob Taper (The Evil Dead, Spartacus: Blood and Sand), e roteiro de Stephen Lightfoot (Justiça Criminal). As gravações serão iniciadas ainda este mês na nova Zelândia e a estreia está marcada para 2012 nos Estados Unidos  através do canal Starz.

Comentários
  • Pingback: Noir, mudanças no roteiro do Live Action « Vila Otaku!()

  • Carlos Andre

    pronto! destruiram a série com esse roteiro. mudar nomes até entendo mas colocar a historia nos anos 60? fala sério. vai acabar não dando certo. eu crente que ia ser uma coisa do estilo 24 hs ou nikita e me saem com essa. espionagem na época da guerra fria. americanos adoram tratar tudo como lixo.

    outra coisa: les soldats agora combatem o islã? paranóia americana de novo metida no meio.

    • Leandro

      Isso ae, Otaku só sabe é reclamar sem nem pesquisar antes.

      Ô tribinho nojenta.

  • Deidara-Senpai

    Nunca mas confio nos americanos, para fazer adaptações de animes.

    Vide Dragon Ball Evolution, todo anime e jogo que os americanos inventam de fazer um filme sai totalmente diferente do que ele realmente é.

    Ainda sinto vergonha de lembrar que fui no cinema ver aquele fiasco de Dragon Ball Evolution.

    • foi mal

      pois é claro vc só pensa em anime

      • Vou bem

        Certo.

        Somente os OTAKUS não gostaram de Dragonball Evolution.

        A adaptação foi genial, o filme foi ótimo e fez muito sucesso de crítica e de público.

        • Pedro

          Não sou otaku (só gosto de alguns poucos animes) e não gostei de Dragonball Evolution. E alias, o filme só recebeu 15% de aprovação da crítica pelo Rotten Tomatoes.

        • Shitbender

          vc ganhou o premio de piada do ano

          kkkkkkkkkkkkkk

  • Rafinha

    Longa vida ao anime e morte decretada ao live action.

  • Alexander

    Por que não o mantiveram como uma homenagem aos filmes Noir como o amigo acima mencionou?

    O diferencial do anime foi esse, fazendo esse tipo de estória como algo que aconteceria nos dias atuais mas mantendo os apectos desse gênero.

    Aí vem os americanos e acabam com isso e colocando o Islã, a nova “ameaça”, pois os nazistas já sairam de moda e é preciso refazer a lavagem cerebral do povão de lá.

  • Flavia

    Achei a mudança de nomes desnecessária. Na verdade o que eu acho que acontece é o seguinte: eles vem uma obra qualquer e pensam: “por que eu não pensei nisso antes?”. Então fazem algumas adaptações pra poder dizer: “tem um dedo meu aí, eu fiz parte disso”.

    • Shitbender

      E quando da em merda, eles fazem questão de esquecer que “colocaram o dedo”, vide Dragon Ball, O Ultimo mestre do Ar e outras adaptações vergonhosas.