Q-Force: Netflix anuncia nova animação para o público LGBT

Por Nielsen Souza em

Netflix / Divulgação

Apesar das polêmicas e críticas, a Netflix planeja continuar apostando em conteúdos voltados para o público LGBT. Depois de Super Drags, a plataforma anunciou a produção de uma nova série animada intitulada Q-Force, que vai mostrar um grupo de espiões bem diferente. A animação é uma criação da dupla Michael Schur (Brooklyn Nine-Nine) e Sean Hayes (Will & Grace), segundo informa o Yahoo.

A série vai mostrar o dia a dia de um agente secreto muito sedutor e sua equipe formada por espiões LGBT. Sempre vistos como inferiores por seus colegas, o grupo embarca em grandes missões para provar que são capazes de dar conta do recado.

Q-Force terá uma temporada inicial formada por 10 episódios. A animação ainda não possui previsão de estreia na Netflix.

Comentários
  • Luiz Claudio

    os criadores são muito bons, quando sair vou dar uma olhada.

  • Bruno Luiz

    Se tiver o mesmo nível de piadas de Super Drags, o flop é garantido

  • MeGaNiNjA

    Será que será sucesso como Aquela serie de maquiagem com Queers, ou será que será uma falha como super drags?

  • Hola

    E eu pensando que seria G-Force… se bem que já deve ter algo com esse nome por aí.

  • Moises Grafic

    dependendo do clima da serie pode ser bom

  • Clelson Medeiros

    pqp, depois sofre censura, queria a volta da ditadura, netflix iria se ferrar.

    • wally

      parabéns, porque noção não tem

    • Só li verdades

  • Eduardo Jose de Andrade

    Na moral, eu um cara hétero consigo fazer um roteiro de série ou animação mais destinado ao público LGBT sem parecer levantar bandeira de lacração.

    • eduardo lima

      defina “lacração”

      hj em dia se colocar um personagem gay, mulher ou negro em algo ja é tachado de “lacração”

      o roteiro dessa serie parece bobo e simples? parece, mas troque ele por “agentes nerds” no lugar de agentes LGBT que NINGUÉM iria falar que era uma serie “lacração” e tão pouco teriam gente querendo ditadura pra intervir na serie como o retardado ali em baixo

      as pessoas exigem “muito” de algo LGBT “pra ter LGBT tem que ter uma boa razão um bom roteiro um bom tudo”, enquanto coisas para o “publico aberto” saem caçambas e caçambas de lixo e não existe a pressão e a critica que existe em qualquer coisa para o “nicho” LGBT
      para qualquer coisa voltada para o publico LGBT é exigido o extremo do máximo para se fazer “necessário” enquanto tantas obras medíocres só por n ter esse “alvo” n precisa se esforçar em nada pq não vai ser cobrado

      e não, vc não sabe o que é ser LGBT para saber o que é importante dentro de uma historia voltada pra esse publico

      vc’s conseguiram o inédito caso de fazer eu concordar com erivelton, parabéns aos envolvido, esperava mais sensatez da maioria daqui que normalmente vejo comentado coisas “sensatas”

      • Eduardo Jose de Andrade

        Não precisa ser uma produção ótima, só uma normal e sem precisar ser uma comédia tosca ou ridícula, e cara baseado nisso que tu escreveu:”e não, vc não sabe o que é ser LGBT para saber o que é importante dentro de uma historia voltada pra esse publico” então só negros podem escrever sobre escravidão negra, só mulheres podem escrever ou falar sobre machismo, estupr$ feminino, só animais podem se manifestar contra o abate de animais, coisa mais imbecil tu escreveu hein, se tu não sabe tenho 1 irmão bi, amigos gay e bi, fora alguns parentes gay, para de ser presunçoso nisso, olha banana fish onde tem um protagonista bi e não levantou bandeira política (bem tem sim política no anime mas é num contexto sério e não mimimi ou respeito aos direitos LGBT).

        • pablo souza

          Olha eduardo, concordo com você nesse ponto . Mas existe a chance de você transmitir uma visão distante da realidade, já que você PODE não conhecer bem a comunidade a qual você está falando. Não estou dizendo que você não possa roteirizar uma série que tem LGBTs,mas muitos héteros(e gays também) Caem nesse extremismo de “vou colocar um personagem gay sem utilidade alguma na história” ou “vou colocar um gay,mas não vou falar nada sobre a se#$alidade dele,porque não quero lacração”

          • eduardo lima

            na grande realidade é isso que vc descreveu é o que a maioria quer, alias o melhor pras pessoas é nem ter… fingir que não existe

        • eduardo lima

          lavem o argumento do “tenho até amigos que são”

          isso tbm n é argumento… é com isso que muitos usam a desculpa para “eu matei ele mas n sou homofóbico, tenho ate amigos que são”

          e eu não disse que vc não pode escrever, disse que vc n tem embasamento para determinar o que é ou não é essencial para LGBT, vc não é seu irmão, nem seus amigos e nem seus outros parentes

          me diga, se uma coisa vai colocar LGBT mas não vai “levantar” bandeira… ou seja, vai ter um gay/bi whatever na historia, mas não vai abordar NADA da realidade de uma pessoa LGBT, isso não estará sendo condizente coma realidade de um LGBT, vc literalmente só esta colocando uma “cota gay” na trama
          vc colocar um personagem LGBT mas não abordar o preconceito, o tabu entre todas as coisas do cotidiano de um, basicamente vc está criando uma falsa realidade sobre… ,

    • kibazedd

      consegue fazer um roteiro de série sem levantar bandeira de preconceito também? Pq se pessoas que lutam pelo direito de serem aceitas em uma sociedade em que preconceito (que é crime) te incomoda, então amigo, primeiro vc trabalha o seu preconceito e depois pensa em reclamar sobre as séries LGBT.

      • Eduardo Jose de Andrade

        Sou tão preconceituoso com gays (isso que você me deu a entender) que assisti ai no kusabi e banana fish sabendo que tinham partes y@ois, ai no kusabi foi mais hardcore nas cenas calientes mas eu esperava um ghost in the shell só que com protagonistas gays, se eu fosse gay ou bi eu acharia ainda mais ridículo aquele super drags por exemplo, não foi só no trailer ruim não, tentei ver a animação mas é escroto demais miga, assim como acho feio os taradões héteros nos animes tipo o Kei de Gantz que deu vontade de socar a tela pela escrotisse dele ser mais de 8 mil.

  • Noir Fleurir

    Não vou assistir porque não tenho Netflix. Mas é bom que continuem lançando porque assim sigo me divertindo com os comentários

    • Gabriel Tavares

      Eu poderia até concordar, mas a maioria dos comentários são bem ridículos… Muita gente preconceituosa aqui (site de anime/filmes de heróis já era de se esperar), ficam falando que Super Drags foi cancelado por causa da falta de lucro, mal sabem que foi por causa de direitos autorais, bando de ridículo se escondendo nos comentários…

      • Noir Fleurir

        É que censuraram meu post. Eu tinha falado que sigo me divertindo com os comentários de quem tem masculinidade frágil

      • Tori

        Primeira coisa, assim que Netflix assina um contrato com a Combo Estúdio, ambas ficam 50/50 com o direito da animação.
        Segundo, Super Drags foi cancelado pela baixa audiência e recepção nada agradável do público.
        Terceiro, ninguém aqui está sendo preconceituoso e sim dizendo a verdade: Netflix quer pink money e você está cego não enxergando isso.
        Há muitos roteiros melhores que possam agradar a LGBT community, e não ser uma coisa simples como isso.

        • Juniorbf41
          • Tori

            Foi UM dos motivos e não sendo o principal.
            Juntando isso com a baixa recepção, foi o que causou o arquivamento da série.

            Mas Netflix ainda tem metade da série em suas mãos, e pode dar um reboot se eles quiserem, ou até mesmo aproveitar em outra premissa.
            Netflix tinha advogados capacitados para interferir na ordem judicial feita pelo Wil (ainda mais que ele não registrou e nem patenteou a ideia “Drag Dragons”, apenas decidiu acusar de plágio.)

        • eduardo lima

          n tem comentário preconceituoso? só tem um cara ali embaixo pedindo censura e volta da ditadura apenas por que ele não quer uma animação voltada para o publico alvo especifico da qual ele n faz parte, e vc me diz que isso é “falar a verdade”?

          • Tori

            tirando ESSE cara, o resto está apenas demonstrando que Netflix está querendo ganhar dinheiro com a moda atual (apoiar o LGBT) usando desenhos com roteiro básico com o tema LGBT.
            Você sabe que podem aprofundar melhor as histórias.
            você sabe que podem melhorar o aspectos da comunidade dando uma história que possa chegar aos pés da linha “Netflix Original” (Orange is the new Black)

            Mas se você acha que isso é o suficiente pra você, telespectador, tudo bem.
            Entretendo, saiba que você está jogando o jogo deles e não está ganhando nada do que uma falsa felicidade temporária com isso.

          • eduardo lima

            seja sincero, se fosse uma serie sobre “personagens nerds” teria metade da repercussão que teve aqui? ou a maioria só ia passar batido e fingir que nem viu sobre o que se tratava?

            é muita falta de reciprocidade reconhecer que a maioria só está usando esse argumento de “deveria ser algo melhor” apenas por que na realidade quer reclamar de algo voltado para o publico
            como eu disse ali em cima, todo dia saem caçambas e mais caçambas de lixo de produções que ninguém da a minima mas tbm n procuram reclamar por reclamar…
            se o conteúdo vai ser ruim, acho que quem vai determinar é o publico que ele esta alvejando não acha?

            e olha ate concordo que me pareceu uma proposta completamente boba, e sequer me chamou atenção pra conferir, mas o que me incomoda é essa “falsa’ preocupação das pessoa que fingem querer algo “melhor”

            “ain n quero filme de herói com personagem gay, pq isso não acrescenta nada pra historia, to aqui pra ver personagens em ação”
            essa mesma pessoa viu os 22 filmes do MCU e não se incomodou que tinha 55 romances héteros na trama em muitas das vezes como foco…

          • Tori

            Vamos em pontos.
            Se fosse uma série nerd, não iria vingar por ter um roteiro meia boca e não teria alcance o suficiente por sua premissa ser ruim demais.

            O foco da minha opinião é a tentativa doentia da Netflix em ganhar mais dinheiro com produções meia boca na tentativa de encher catálogo.

            Sobre essa última linha, me recuso a dizer algo, pois você ta dando curva no assunto.

        • Noir Fleurir

          Netflix quer dinheiro em cima de um público específico. Oh, mas que novidade e que pecado imperdoável jamais antes cometido.

          • Tori

            E você protegendo isso. Oh, mas que novidade.
            o importante é ter lacração né.

  • Raimundo Guedes

    Se tem demanda, alguém vai atender. Bora ver se existe realmente um grande publico interessado nessas animações voltadas a um nicho específico.

  • Kevin

    Parabens você lacrou

  • Marcelo Kirito

    Se a série for legal ótimo eu vejo. Minha masculinidade não é frágil pra assistir algo do público LGBT.

  • Tori

    Mais um pra flopar
    vamo que vamo, LACREM MAIS!

  • Tori

    você pode falar o quanto quiser, foi cancelado por baixa audiência.

    • Gabriel Santos

      Foi cancelado por processo de plágio, não por audiência

      • Tori

        Não tem um motivo certo.

        • Gabriel Santos

          Claro que tem. Assim q saiu o processo o negócio foi cancelado. Por que mais seria então???

          • Tori

            Tu realmente acha que um processo minúsculo como esse iria fazer o cancelamento da serie?
            Creio que você não sabe muito sobre o cenário jurídico

          • Gabriel Santos

            “um processo minusculo” q se viesse a tona ia se tornar um escândalo e a cada episódio teriam q pagar uma multa nervosa pro verdadeiro criador. Acho q vc q ñ entende muito sobre como uma empresa tenta ao máximo escapar de problemas…

  • Rei Salah returns

    Tem um anime famoso que o Netflix cortou o personagem lgbt do remake, agora vão dar um compensada?

  • Juniorbf41

    As piadas não agradaram nem o público lgbt

  • Anubis_Necromancer

    Será que o preconceito é apenas pq o desenho Super Drags era brasileiro?
    Vou ficar só observabdo XD

  • Bruno

    Comunidade LGTB nem assiste essas animações da Netflix, aliás a grande maioria não consome nada que seja feito para agradar a comunidade.

  • Apesar de você ter enviado um email direcionado a mim completamente desrespeitoso a minha pessoa, vou te responder por aqui:

    Seus comentários não foram deletados por mim, mas outra pessoa. De fato não havia nada demais neles, mas você e outros precisam entender que mais de uma pessoa modera e muitas vezes alguns ficam na lixeira ou apenas no aguardo esperando que alguém veja senão tem nada de ruim.

    Ao contrário do que você achava, não precisei deletar nada seu, eu aprovo praticamente todos os comentários que chegam, alguns até passam batido pela correria e só depois percebo que foi alguém brigando com outro alguém. O mesmo vale se uma pessoa tenta ofender ou xingar.

    A minha vontade foi te banir justamente pelo tom do seu e-mail. Se você tivesse sido mais educado teria tido uma resposta por lá, mas como você deve ter visto seus comentários aprovados e pensado que eu tive “medo”, decidi fazer por aqui.

    Na próxima vez seja menos arrogante e tente saber o que houve com mais educação. Se você sabe argumentar co sempre faz questão de mostrar, também pode demonstrar que teve uma boa educação.

    Não preciso que você me responda se for para criar confusão, até porque não pretendo dar seguimento ao assunto. Só em fazer você saber disso tudo fico estou satisfeito. Caso queira argumentar já sabe o email.

  • Eduardo Jose de Andrade

    Realmente o lance do Watsuki mostrou que a lol#conzagem no Japão, acho errado mas infelizmente quem pode mudar isso no Japão são as novas pessoas pois quem já é velho não muda fácil não, inc#sto é fetiche deles também infelizmente, e cara só tu procurar animes y#oi ou Y$ri que mostram sim preconceito/hom$fobia, o top 1 de y$oi da LBTV mostrava isso só que no Japão feudal, mas cara uma coisinha: SEMPRE TERÁ PREC$NCEITO com se$ualidade minoritária, na Grécia e Roma antigas o homem que só gostasse de mulheres sofria prec%nceito, vide o quarto imperador romano que antecedeu o Nero, é cíclico isso cara, o vice-presidente da comunidade LGBT dos EUA há anos declarou que os bis sofrem sim prec#nceito dentro da própria comunidade, o mundo não é só preto e branco não,

  • Pederix

    Galera reclamou muito de Super Drags por falar exageradamente de se@#o, mas muitas séries animadas de adulto fazem o mesmo e pior, como Big Mouth e o pessoal não cai em cima, por que será?

    • Juniorbf41

      No especial de Halloween tinha piada com est@$$pro e a comunidade lgbt se ofendeu com as piadas do desenho porque ficou parecendo que os gays só pensam em rola e essas coisas

    • JJ

      Big Mouth, é um desenho de infância e explica coisas sem ser exacerbado.

  • Pederix

    Acho até irônico Super Drags aparentemente ter sido cancelado por audiência, já que na época que estreou não se falava de outra coisa, isso de alguma forma deveria ter chamado atenção para a série, ainda mais depois daquela galera que queria boicotar achando que era pra criança

  • Arthur

    Os caras tem liberdade criativa (acho), classificação para maiores de idade e sem o mimimi que iria gerar na TV aberta, e oq vem disso ? Só um monte de estereótipos gays bem baixaria e vergonha alheia (SuperDrags). Acredito que se um público pode ter uma Cinderela e um príncipe, o público q consome isso tb, e não genéricos cheios de piadinhas sem graça como SuperDrags. A animação tb podia ter sido melhor do que aquela em flash. Quanto a isso aí, parece q tiraram da bunda, mas vamos lá.

  • Joseci Pereira De Sousa Junior

    kkkk engraçado o novo sentido que tão dando a palavra “lacração” nos comentários dessa noticia xD

  • Joseci Pereira De Sousa Junior

    Era pra ser apenas uma noticia sobre o anúncio de uma nova animação da Netflix, mas acabou virando um debate intenso sobre se#$$lidde, ideologia e dando um novo sentido a palavra “lacração” kkk xD

  • Clelson Medeiros

    assinatura da Netflix vai aumentar para 45.90 pra que? pra ter conteúdos que agradem o povo da lacração.

  • Clelson Medeiros

    sou assinante é quero conteúdos de qualidade, não lixo que só vai agradar meia dúzia de pessoas.

    • eduardo lima

      exatamente, vc é UM assinante da Netflix e não dono

      se a Netflix vai produzir algo pra “meia duzia” que ela quiser ela vai fazer, vc n é obrigado a consumir, vai ter varias outras coisas no catalogo pra vc ver
      mas se vc acha que censura é a resposta, parabéns, vc só é mais um “ditadorzinho” de quintal

  • eduardo lima

    sim foi retorico, (em particular, eu nunca usei do termo) o que eu quis dizer que HOJE, “lacração” virou gíria da galera conservadora para ridicularizar absolutamente qualquer coisa que carrega algo “representativo”

    não é bem assim, concordo que sim, muita coisa tem “buzz inicial negativo”, mas o nível de exigência é sempre muito menor e em pouco tempo a galera desencana, agora com qualquer coisa que envolva LGBT a exigência é sempre no alto, e basta qualquer coisa pra usar aquilo pra denigrir o produto ate o fim, você dizer que conferiu algo e não achou de todo ruim já algo bem diferenciado da grande maioria que simplesmente sequer vai conferir algo com o tema e só vai “hatear” por isso mesmo

    veja bem, em nenhum momento eu disse que ninguém pode escrever, eu disse que a pessoa não tem parâmetro para determinar exatamente o que é e o que não é
    exemplo é uma pessoa que não tem cegueira falar que pode descrever perfeitamente como é a vida de um cego, e sim, ela consegue, mas ela não vai ter nem metade da experiencia e profundidade de um relato de um!

    francamente…

  • Tori

    eu assino, eu sou uma das pessoas que essa animação está sendo redirecionada (de uma forma ou outra eu participo da comunidade) e tenho meu direito de reclamar sobre esse roteiro medíocre pra conseguir arrancar umas moedinhas do bolso e aumentar o catálogo.

    • Noir Fleurir

      E eu também. E tenho direito de defender isso se eu quiser. Roteiro medíocre não é só privilégio cis-hétero. Não é porque é LGBT+, que tem a obrigação de ser uma obra-prima. Netflix está cheio de produções medíocres de todos os tipos, por isso nunca me interessei em assinar. E se assinasse, muito provavelmente não assistiria essa por não me interessar pelo plot. Mas, para mim, quanto mais conteúdo variado, melhor, não importa a plataforma. O consumidor precisa ter opções. Ele é livre, e o mercado também. Pior era a época que conteúdo LGBT+ era repudiado pelas empresas por ser sinônimo de prejuízo e boicote. Hoje é chama-dinheiro. Um dia não vai ser nenhum dos dois, de tão comum que vai ser a participação LGBT+ nas mídias. E quanto mais cedo acabar o mimimi de ambas as partes, mais cedo essa época vai chegar.

      • Tori

        Se você se acha do direito de defender esse projeto, parabéns.
        Não vai alterar meus fatos e argumentos.

  • JJ

    Realmente, n consigo entender, a trama irá se passar somente a respeito de preconceito, queria saber o quanto a Netflix ganha fazendo um desenho desses.