Divulgação. © Warner Bros.

Após desenvolvimentos conturbados nas produções e os resultados negativos na crítica e nas bilheterias de Liga da Justiça, a Warner Bros. vai reformular a divisão de filmes da DC, informou a Variety.

A primeira mudança é a saída de Jon Berg, que comandava o universo cinematográfico da DC com Geoff Johns. A notícia foi confirmada por Toby Emmerich, presidente da Warner Bros., e segundo ele, a saída de Berg já era planejada devido a sua intenção de ser um produtor do estúdio, então ele sairia da DC para trabalhar com Roy Lee, produtor de filmes bem sucedidos da Warner, como LEGO Batman: O Filme e It: A Coisa.

Geoff Johns deverá sair do comando da DC Films. Apesar disso, ele continuará servindo como diretor-criativo da DC Entertainment, no comando de conteúdos para outras mídias e deverá ainda atuar como consultor criativo nos próximos longas da DC.

Outra grande mudança revelada será que agora a divisão de filmes da DC estará mais ligada a Warner Bros. Assim, o estúdio participará mais das decisões, como ocorre em franquias como Harry Potter, não sendo mais em um prédio a parte.

Além dessas mudanças, foi reforçado a existência do descontentamento dos executivos com a visão de Zack Snyder, relatando que havia uma oposição a um vilão feito inteiramente em CGI, o que contribuiu para inflar o orçamento do longa, que com a arrecadação insuficiente pode causar prejuízos para o estúdio. Já a Time Warner estaria insatisfeita com a decisão de mantê-lo como diretor após a recepção negativa de Batman vs Superman, o que poderá ocasionar ainda mais baixas.

Em relação a permanência de Ben Affleck, foi relatado que ele aparecerá como Batman no filme solo do Flash (Flashpoint), onde deve haver o reboot, mas não estaria no filme solo do personagem, The Batman, que será dirigido por Matt Reeves, que busca uma cara nova para o papel.

As mudanças devem ser aplicadas até janeiro. Enquanto isso, a Warner Bros. segue com a produção dos filmes solos dos heróis que consideram os trunfos de Liga da Justiça, Flash e Aquaman, e a sequência do sucesso de crítica e bilheteria, Mulher-Maravilha 2, que deve ser ambientada na Guerra Fria. Ao mesmo tempo a New Line segue apostando no filme solo do Shazam!.

  • Eryk Oliveira

    Já ouvir essa história. O esquema é ser mais raiz aos quadrinhos, e explorar o heroísmo em cada filme de cada herói. Aparentemente o Zack queria fazer isso, mas em todos os filmes que ele participou (desse universo) sempre rolava algum problema, ou era cortes, ou era estúdio, ou era contrato. As ideias dele são legais, mas na hora de aplicar deixavam os filmes longos demais. O resultado foram os cortes e modificações que faziam e saiam os filmes mais ou menos, ao invés de ir direto ao ponto na história. “Tempo de tela” e essas coisas.

    Eles começaram errando em querer fazer logo Liga da Justiça sem antes trazer os filmes solos de cada um. Não vou nem falar de Esquadrão Suicida. Agora Mulher Maravilha sim foi uma obra prima de filme. Eles querem criar um universo novo da DC nos cinemas? Tudo bem, mas se desandar do original, então pra quê pegar o mesmo nome? É tão difícil assim? A história já está lá, mastigada para eles. Se é para filme, então tem que ser melhor, e não diferente. Parece que é isso que a Warner quer fazer. E não só ela, os estúdios e diretores também, querem pegar o super-herói e fazer uma mudança “drástica” nele só para sair o filme. E aí o pessoal que não conhecia os quadrinhos vai lá e vê a coisa totalmente diferente. Franquia Espetacular Homem Aranha, Homem de Ferro 3, Lois ruiva e Aquaman bombado, Flash, quem é Zod, e Lex Lutor com cabelo começando a peitar mais de um herói, não só o Superman…

    Chamem os roteiristas das animações da DC que eles acertam.

    PS: Minha opinião.

    • Nero ZeroX

      Mas baseando no que você seria mais interessante pra DC/WB fazer um filme em CG ou longa do saudoso desenho LJSL do Bruce Timm do que continuar com esses filmes como BVS, LJ e outros…Off.: Uma vez aprendi que é difícil traduzir uma mídia para outra, pois sempre perde alguns detalhes, mesmo que se consiga uma equipe que goste e conheça a fundo uma franquia, há sempre a interferência de alguém (por vezes os estúdios)..por vezes me pergunto como é que os japoneses conseguem adaptar animes como Samurai X e outros ou fazer filmes que servem de sequências para Sentais, KRiders, Ultras e afins e os norte-americanos não conseguem como PR, TF, RE e outros? È por isso que por vezes dá medo quando falam que vão adaptar o Macross, Akira, Evangelion e outros,,,fora as pratas da casa como He-man, Centurions, Ben 10 e outros…

      • Eryk Oliveira

        A lambança está feita. Tudo bem eles continuarem com o mesmo cronograma deles, o problema são os diretores e roteiristas que estarão envolvidos daqui pra frente. Cada um tem uma “visão” diferente do herói para o seu filme. Homem de Aço, BvS e LDJ tivemos a visão do Snyder, enquanto as animações da DC não estão preocupadas com “universo” ou com “conexão” com a história dos outros filmes. Eles seguem os quadrinhos e pronto. Não estou dizendo para os live-actions seguirem a mesma linha, só que, para ser realista, tudo bem. É só não desandar demais das HQs. O filme da Mulher Maravilha faz isso bacana. Mostra os personagens, a história, tudo na hora certa e final feliz. Mas agora eles fazem “vou colocar isso para ser importante para outro filme” e acaba gastando tempo de tela para nada. Só coloca se der, não força. Por isso tem muita coisa nos filmes com Snyder e sempre tem uma hora que não bate aquela empolgação. Mesmo LDJ ser mais ou menos, particularmente eu gostei. Mas acho que ainda poderia ser melhor, e o Snyder também acha isso, mas ele quis colocar coisas demais que lotou a duração do filme e lá vai a Warner se meter.

        Se fizessem os filmes despreocupados com o futuro e colocar apenas o essencial, aí sim temos um ótimo filme de Super-herói da DC, como as animações da DC fazem. Tem uma razão para os filmes das antigas do Super e do Batman serem ótimos, porque eles mostram apenas o essencial. Para filme tem que ser “direto ao ponto”, mostra o que tiver que mostrar em menos de duas horas e meia e pronto, aí estar o filme.

      • Just_an_Asian_guy

        Samurai X é extremamente simples de adaptar de mangá pra live action, filme de super herói não. É tudo absurdo demais e precisa de conexões demais entre os personagens.

        • Eryk Oliveira

          Nem por isso. O filme do Homem Aranha de 2002 acertou, e os Vingadores também.

          O problema é pegar um herói não muito conhecido pela midia como exemplo o Lanterna Verde e se aprofundar no personagem e no universo dele para criar um filme. O roteirista ou o diretor do filme ler os quadrinhos, e com o prazo do universo compartilhado/expandido, ele tem que ver o que mostrar e o que não mostrar. Os detalhes ficam por critério dele.

          Samurai X já tem as sagas, então nada o que inventar, apenas adaptar para os cinemas.

          Homem Aranha já tinha uma trama nos quadrinhos. Origem, Mary Jane e Norman Osborn. Pegaram apenas os principais de cada para formar um filme. E para encaixar melhor, criavam cenas inéditas.

          Vingadores já conhecia-mos os outros personagens dos outros filmes. A única novidade era o exercito que o Loki trouxe e o chefão deles, que só aparece na cena pos-créditos. Eles aproveitam também e recheiam o filme de curiosidades dos heróis, como Hulk Vs Thor, a torre dos Vingadores, O escudo do Capitão aguentar o Martelo e mais alguns.

          Enquanto BvS e LDJ queria mostrar os aspectos de cada herói e MUITAS outras coisas, lotou, e saiu como saiu. Mesmo sendo os heróis mais famosos, ainda era um FILME e tem que seguir com o que tem para mostrar. E se não deu, mostre numa possível continuação, ou um spin off, livro, o que der na telha.

          • Just_an_Asian_guy

            Então, eu disse que não é simples adaptar filme de herói, não que é impossível. É uma tarefa mais difícil, então é de se esperar que surjam vários fracassos, mesmo com um investimento financeiro bom.

            Pegar personagem desconhecido nem é bronca, olha guardiões aí.

            Então, sobre essa questão que falasse das sagas, isso não é bronca tbm. Existem 21212121 quadrinhos de cada herói. Opção sobre por onde começar não falta. Já mangá só tem um caminho a se escolher, não acho isso tão bom kkkk podem até adaptar fielmente, mas o teto da qualidade vai ser a história daquela única rota.

          • Eryk Oliveira

            No caso até os mangás podem inventar história, porque quando falamos de Filme Live Action, principalmente de Origem, os caras querem contar “a história antes dos quadrinhos” no caso antes dos mangás. E foi com esse pensamento que trabalharam com Dragon Ball Evolution e Death Note da Nerflix. Dragon Ball mesmo tendo o clássico como referencia, eles queriam contar “a história antes do Z”. E particularmente falando não era uma má ideia, só foi mal executada.

            Guardiões o cara soube brincar. Colocou o que podia e ainda deu um toque pessoal em cada personagem. Essa é a vantagem de trabalhar sabendo. Principalmente porque, até o primeiro filme, ninguém sabia quem eram esses personagens. Jogo de cena, trilha sonora, ele se preocupou com tudo isso mesmo, não apenas em “contar a história.”

          • Just_an_Asian_guy

            Então concordamos que isso aqui não faz muito sentido já que mesmo os animes criam histórias quando o conteúdo original não é o suficiente ou não é bom o suficiente.

            “Samurai X já tem as sagas, então nada o que inventar, apenas adaptar para os cinemas.”

            Btw, quadrinhos tbm tem arcos.

            Eu não to sacando cara, você disse antes que pegar personagens desconhecidos não da certo pq o diretor tem que se aprofundar demais nos personagens pra poder fazer um trabalho legal. Depois disso falasse:
            “Principalmente porque, até o primeiro filme, ninguém sabia quem eram esses personagens.”

            Então importa o diretor saber? Pq pelo que falasse, o fato do público não conhecer da liberdade pro diretor fazer o que quiser, incluindo dar um “toque pessoal” nos personagens e moldar a maneira que vai contar a história da maneira que parecer melhor para ele. Então existe a necessidade desse aprofundamente que falasse?

            Pelo que falasse, se o personagem é desconhecido basta o diretor enriquecer o storytelling e passar a história. Não precisa ser nenhum expert. Tanto que se vc for ver, a maioria das histórias da Marvel nem usa tanto do universo além de conexões entre os filmes. É um filme basicão com uns detalhes do universo.

          • Eryk Oliveira

            Sabe quando você vai assistir uma adaptação como Dragon Ball Evolution por exemplo e fala “cara, isso não é Dragon Ball”? (O pior é que até o autor do mangá que viu o filme falou a mesma coisa haha)

            Quando vamos assistir um filme sobre “guardiões da galáxia” eu queria sentir que estou assistindo um filme dos Guardiões da Galáxia. Se eu vou assistir um filme sobre “Dragon Ball”, quero sentir que estou assistindo um filme de Dragon Ball. Se quero assistir um filme de Death Note, quero sentir que estou assistindo Death Note, entende? Se o cara não mostra a mesma “essência” que faz as pessoas lerem os quadrinhos/mangás, eles só estragam.

            Nunca disse que não dá certo, o que eu disse foi que, se o cara não sabe o que mostrar, principalmente quando tem um MONTE de opções para isso, ele mais se perde do que encontra. Acaba correndo o risco de mostrar coisas desnecessárias.

            É como eu disse: não pode desandar “DEMAIS”. Ser melhor, e não diferente. Ir direto ao ponto. Saber o que mostrar, não só mostrar algo sem essência, como DB Evolution, sabe?

          • Just_an_Asian_guy

            Ah sim, saquei. Não tas falando sobre escolha de história nem de modo de falar, mas sobre a essência do filme e do grupo. Aí sim, saquei.

    • toygame lan

      não precisa chamar os roteiristas das animações da DC,é só copiar o filme mesmo

  • Icaro Felipe

    Demorou até. Deviam ter feito isso após BvS

  • Ariel Gomes

    Já n gasto meu dinheiro com a dc no cinema… Simplesmente cansei

    • Eryk Oliveira

      Mulher Maravilha é o único que está realmente bom. Esse eu recomendo sem medo.

  • toygame lan

    os filmes da DC tem que ser igual aos das animações,poe só alguns minutos a mais para explicara algumas coisas

  • Luana Lordelo

    Ainda bem que irão reformular as coisas, eles precisam se planejar mais para colocar as ideias em ação. Entendo que é realmente difícil adaptar mídias diferentes sem saber por onde começar, mas eles precisam de calma e muita conversa até conseguirem se resolver.

  • Erivelton Freitas

    Demissões é um bom começo para a coisa toda! Principalmente agora que o Kevin saiu e quem assumiu foi o Toby. Não digo que não gosto dos filmes do Snyder, muito pelo contrário, acho ele um puta diretor, mas é fácil para mim, enquanto fã dele, gostar do que ele faz, difícil é para a crítica que apadrinha diretores e produtoras gostarem. Por mim, trariam J.J Abrams, Peter Jackson e Nolan para o DCEU, quero ver a crítica falar alguma coisa.

    No mais, pelo andar da Carruagem, Flashpoint será o que a Liga da Justiça deveria ter sido, e sendo assim, eu espero algo digno do filme de animação, com todos morrendo, o Universo dando Reboot e as coisas caminhando de um jeito totalmente inédito, seria uma excelente desculpa, e ainda não comprometeria a continuidade do Universo. No mais, estou ansioso por Aquaman, que acho que nas mãos de James Wan, será maravilhoso.

    • Até a saída do Affleck pode ser explicada, só meter a desculpa que o Bruce nasceu mais tarde depois que o Barry restaurar a linha do tempo e colocar um ator mais novo, acho que fica mais orgânica a troca de atores. O universo em si dá pra ser salvo ainda, só precisam de um melhor planejamento e um melhor alinhamento de ideias.

    • Just_an_Asian_guy

      Olha a pontuação que a crítica deu pros filmes que JJ Abrams escreveu e depois me diz se ele é favorito da crítica. Peter jackson favorito da crítica? wtf nessa década ele só fez a trilogia hobbit em que a crítica caiu em cima. Nolan realmente tem um favoritismo, mas isso é tanto do público quanto da crítica popular. Com exceção de alguns filmes, o que ele trás é apenas estética e conhecimento raso.
      Para de tentar justificar esse ódio pelo snyder como se ele fosse uma vítima. A culpa das coisas nunca é daquilo que vc gosta, é sempre dos outros que estão criticando errado. Mais humildade cara.

      • Erivelton Freitas

        Em primeiríssimo lugar, o meu comentário nunca teve o intuito de afirmar que os diretores em questão em ‘queridinhos’ da crítica, contudo, é inegável que os filmes que eles produziram e produzem, dão certo e trazem boas bilheterias a seus estúdios. Além do mais, são nomes de peso no mercado que dificilmente algum crítico conseguiria por ao chão, como o caso do diretor de Godzilla (2014) que foi o mesmo de Rogue One. Todos sabemos como foram os dois filmes, e claro que tiveram seus merecidos pontos negativos escrachados, mas deram certo e o diretor não perdeu credibilidade nem perante os estúdios e nem o público. É um fato a ser levado em consideração.

        E sim, a culpa das coisas é sempre dos outros sim, uma má vontade generalizada, um favoritismo já entranhado, uma vontade maior de criticar gratuitamente do que elogiar coerentemente. Eu sei dos filmes que estou vendo, sei daquilo com o qual estou gastando dinheiro para alimentar e manter vivo, então posso afirmar com verdade, que diferente da grande maioria das pessoas, eu não vi nem 10% dos motivos que tiveram para falar mal. Desculpa, mas não se trata de ser humilde ou não, trata-se de ter vergonha na cara e não ser um desonesto da internet, como 99% das pessoas que dia a dia discutem esses filmes na rede.

        • Just_an_Asian_guy

          Teve sim, deixa de papo. Tu queria dizer que eles são queridinhos e que a crítica gosta deles. E o que tu ta dizendo? Olha o rotten ae, alguns desses que vc falou levam bomba direto da crítica.

          Tu se acha o suprassumo do bom gosto mesmo, jesus cristo.

          • Erivelton Freitas

            Como eu disse, sou uma pessoa honesta que não me limito a seguir e reproduzir discursos pré-moldados de gente alienadora que apadrinha marcas. Eu tenho plena consciência de que aquilo com que estou gastando meu dinheiro vale demais a pena e não preciso ouvir o contrário de ninguém, uma vez que não são eles que estão pagando. No mais, entenda meu comentário da forma que quiser, problema de interpretação é algo que acompanha o Brasileiro desde a 4a série. Surpreso eu?! Não mesmo!

          • Just_an_Asian_guy

            Perfeito a sua colocação, você afirmou que vale a pena para VOCÊ. O que é certo, cada um tem o direito de consumir o que quiser e dizer que gosta do que quiser. Mas ninguém é obrigado a ter que ler todo santo dia que coisa X ou coisa Y fracassou pq todo mundo ta errado e que a pessoa que gosta daquilo ta certa.

  • Mr.L

    Aiaiai esssa Warner/DC …

  • Léwow

    que mané trocar o ben affleck mano

    • CR0M1D1A

      Tem que trocar sim! o cara que ta de saco cheio atuando…

  • Eduardo Jose de Andrade

    Espero que agora em diante os filmes da DC deixem de serem feitos as pressas (cof cof liga da justiça).