Your Name: roteirista diz que filme terá abordagem ocidental

Por Matheus Sousa em

Makoto Shinkai / CoMix Wave / Divulgação

Em entrevista ao Slash Film enquanto promovia seu mais recente trabalho, Bird Box (Caixa de Pássaros), da Netflix, Eric Heisserer comentou a respeito da adaptação em live-action de Your Name, que, segundo ele, terá um “ponto de vista ocidental”, via CBM.

Heisserer disse que considera este um desafio interessante, por consequência das exigências dos detentores da obra em fazer um filme ocidental, e que sendo assim, no momento, se trabalha a melhor forma de interagir essa história dentro de uma versão americana.”Eles afirmaram que, se quisessem uma versão live-action japonesa, eles apenas a fariam. Mas eles querem vê-la através das lentes de um ponto de vista ocidental“. comentou Heisserer.

Por fim, o roteirista foi questionado se os detentores tiveram alguma relutância visto o fracasso de A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Sheel, mas segundo eles, haviam diversas opções de adaptação e eles determinaram o tom. “Posso dizer que o meu é uma versão parecida com Ghost in the Shell.” finalizou.

Your Name conta com produção de J.J. Abrams (Super 8, Star Wars: O Despertar da Força), Lindsey Weber (Rua Cloverfield 10, Star Trek Sem Fronteiras) e Genki Kawamura (produtor do anime), com roteiro de Eric Heisserer.

Mais informações em breve.

Comentários
  • pablo souza
  • Charles Calado

    bom até aí nada de mais, quando eu vejo criticas feitas pelo publico sobre um remake de algo asiatico feito por hollywood normalmente é sobre ñ ter asiaticos interpretando os personagens principais ou mudanças nos pontos chaves do roteiro (ou outras coisas q tornam a obra original autentica)como your name tem apenas 2 pontos chaves q é viagem no tempo e troca de corpos ñ da pra mudar muita coisa, sobre o elenco eu acredito q ñ vão chamar asiaticos pra interpretar o casalzinho e isso ñ vai repercutir

  • Essas abordagens! tsc tsc tsc…

  • João Carlos

    Ixi…

  • Yellow Hair

    Já dispenso…

  • Até onde eu sei, toda adaptação de anime que teve até agora teve um ponto de vista ocidental, pois os filmes pouco mantiveram a essência do material original. Mas com o produtor do anime junto, vamos ver né…

    • MeGaNiNjA

      Em questão de material original, maioria do pessoal segue o manga e não os animes, mas as vezes acaba sendo meh mesmo

      mas tem exemplos de live actions bons, como No Limite do Amanhã por exemplo

    • Eduardo Jose de Andrade

      Bem as feitas por hollywood né, pois a trilogia de Samurai X e Bleach foram feitas por japoneses.

  • Tales

    ou seja vai ser tipo o filme se eu fosse você conclusão uma coisa tão feia q chega a dar vergonha

    • MeGaNiNjA

      mais vergonha que o final do filme original não tem

  • Pégaso

    Não vejo muito problema nesse live-action, pq os pontos principais são viagem no tempo e a troca de corpos, então é fácil “ocidentar” a história sem perder sua essência.

  • MeGaNiNjA

    Se tiver um final melhor que o filme original e manter toda mistica e magica que o original teve até o Climax do filme ta valendo

  • Eduardo Jose de Andrade

    A vigilante do amanhã GITS falhou só em arrecadar em bilheteria, mas o filme é bom sim, foi um colírio pra mim depois de ver a bosta do Noteflix, your name já achei o anime mais ou menos, só a arte da animação que destaca mesmo, mas é fácil Hollywood adaptar, na verdade pode melhorar tipo……….SPOILER A FRENTE: não fazer com que os protagonistas troquem de corpos em anos diferentes! e sim no mesmo dia, tipo no filme 1 tava no ano x e a outra no ano x-3, além de muitos furos de roteiro que deixou isso, foi sem noção, na versão hollywoodiana pode deixar os 2 vivendo e trocando de corpos no mesmo dia.

    • Edenilson Pontes

      Mas isso foi o plot twist do filme, se mudarem isso perderia o sentido das trocas de corpo (a não ser que criem um outro plot que justifique as trocas de corpo), sem contar que os fãs podem não gostar da mudança. Eu não me importo se fizerem mudanças positivas o filme, mas não vejo problema em trocarem de corpo em anos diferentes.

      • Eduardo Jose de Andrade

        Achei sem noção o garoto estar no ano x e a garota uns 3 anos atrás em relação ao ano do garoto, tipo….como não notaram ao longo de SEMANAS que não estavam no mesmo ano? tipo se neste ano o Natal foi na terça, no ano passado não foi na terça, maior furo de roteiro do filme pra mim.

        • Edenilson Pontes

          SPOILER!!!

          Mas o filme deu dicas de que o fenômeno da troca de corpos afetava a memória dos dois. Logo no início das trocas de corpo, a protagonista diz que sente estar em um sonho estranho sobre a vida de outra pessoa, mas não lembra bem. Também tem a cena da montanha onde o protagonista esquece o nome dela mesmo depois de ter acabado de ver e falar com ela, ele até tinha repetido o nome dela antes de esquecer. O protagonista também não lembrava de ter se encontrado com ela no passado e no final do filme os dois não tem certeza se eles se conhecem. Com isso dá pra entender que durante as trocas de corpo, eles não lembravam de detalhes como datas. Então eu não considero isso um furo de roteiro.

          • Eduardo Jose de Andrade

            Eu considero porque depois eles trocavam de corpos durante semanas e não estavam mais perdendo memórias, esse lance de esquecer depois pareceu uma justificativa ruim de fazer parecer que eles esqueceriam e depois talvez se lembrassem, o roteiro de your name não gostei mesmo.

          • Edenilson Pontes

            Como eu disse, é possível que quando eles trocavam de corpo era como se estivessem em um sonho, por isso eles não percebiam certos detalhes, mas conseguiam lembrar de outros. Eu não considero um furo porque essa justificativa foi mostrada desde o início do filme e me convenceu. Mas eu entendo o seu ponto, por mais que o filme tenha dado dicas, isso é só uma teoria e pode não convencer todo mundo.

          • Eduardo Jose de Andrade

            Melhor crítica do filme que vi foi a de 50 minutos do VitorVerde, ele explicou melhor que eu o porquê de eu não ter gostado tanto do filme.

          • Edenilson Pontes

            Entendo que o filme não agradou todo mundo e que ele tem seus problemas, eu não gostei tanto do final, mas no geral achei um bom filme e encontrei explicações sobre os possíveis furos no roteiro que me convenceram. Sobre a adaptação em live action, provavelmente vão mudar algumas coisas, só espero que as mudanças sejam para melhor. Confesso que gostei da troca de corpo se passar em anos diferentes, mas se conseguirem fazer um plot melhor eu não me importaria com a mudança.

          • Eduardo Jose de Andrade

            E parece que foi o filme com final mais feliz do Shinkai.

          • Edenilson Pontes

            Pois é, mas senti que faltou algo mais, como mostrar um pouquinho mais do futuro dos protagonistas.

  • Léwow

    Se for pra fazer abordagem assim nem precisa gastar dinheiro já existe, se chama: SE EU FOSSE VOCÊ

    Com Tony Ramos e Glória Pires

    • Lucas De Sousa Moura

      Esse só não é o melhor live-action porque existe a adaptação de boku no hero:Sky High

    • Salem

      Tem o A Casa do Lago também

  • Quantas vezes eles vão fracas até entender que essas adaptações em live-action com “ponto de vista ocidental” não funcionam.
    O respeito ao material é obrigatário!

  • Edenilson Pontes

    Isso não problema pra mim, já até esperava por isso. Só espero que consigam fazer um bom filme.

  • Stefhany Minimundos

    Ponto de vista ocidental não, ponto de vista americano né.

    Nunca assisto esses live action mesmo, então nem esquento a cabeça.

  • Zarchary Rabbido

    O Filme original já não é nada dms, o Live-Action conseguindo entregar a msm sensação não tem problema

  • Tadokato

    Eu deixo passar direto já.
    Ao meu ver, o filme foi criado com um ótimo roteiro, um plot twist bem aplicado, o filme foi produzido pra termos uma experiência linda enquanto assistimos, e mesmo assim, além de ser literalmente feito pra ser algo lindo, mostra culturas/vidas diferentes, de pessoas totalmente distintas, mas que ambas tem um desejo, e muitos não conhecem algumas culturad/religiões do Japão, e se perguntam por que dançando, comendo um arroz e cuspindo? Conhecemos algo novo apartir daí. E o filme mostra tudo aquilo que é novidade pra muito. Mas e quando tudo isso for adaptado? Vão enfiar simplesmente alguém que trabalha na roça, e outro da cidade de NY? Coisa que todo mundo já viu? Não tem sentido, seria só mais um filme pra encher linguiça do povo hollywoodiano ganancioso, que vai se aproveitar do sucesso que o filme fez.

    • Pra mim o problema nem é americanizar roteiro, e sim a forma que vão tratar o lançamento do filme por aqui, pois a regra pra qualquer ficção é assim: só tem um bom tratamento mundial quando é algo no mínimo 90% feito nos states, como por exemplo o caso do live-action de Ghost in the Shell, que mesmo com a sua bilheteria fraca teve até blu-ray lançado por aqui. E o mesmo não se pode dizer do anime original, que só retornou por aqui porque uma distribuidora pequena especialista em produções asiáticas se interessou no filme por aqui, mas não tem a mesma capacidade que a produtora do filme americano pra investir nele internacionalmente ou em outras formas de mídia.
      Your Name levou mais de um ano pra finalmente chegar de forma oficial por aqui (ainda apenas legendado), agora e esse filme ae? Dependendo de quem será o responsável pela distribuição, pode levar apenas entre dois meses até a exibição simultânea, por quê? Porque é filme americano, e a probabilidade de ter alguma distribuidora de grande porte envolvida é grande. Engraçado que uma das distribuidoras multinacionais que mais trabalhou com filmes japoneses é a Warner Bros., porém a mesma quase nunca foi de distribuir filmes (ou séries) japoneses internacionalmente, por aqui tendo distribuidoras como a Focus Filmes ou a Netflix para fazer isso no lugar da Warner.

      • Tadokato

        Eu sinceramente nem estou preocupado com isso realmente, eu conheci o filme antes mesmo de ser dublado, então nem senti tanto impacto e tals, mas sei que por conta da Netflix trazer, notei que muitos que nem animes assistem, começaram a ver. Mas enfim, o que eu quero dizer é que eu nem me importo con a distribuição, mas sim com o povo americano querendo americanizar um sucesso, que é rico em informações e detalhes, pra simplesmente lucrarem por cima.

    • Diego Araujo

      Concordo em numero e grau. A viagem no tempo por exemplo, é um fator religioso e espiritual no filme. O J.J Adams entrar na produção me faz acreditar que vão levar pro lado da ficção cientifica e isso ja tira toda a graça da coisa.

  • O desfecho do filme original ja é meio bosta kkk tomara que coloquem eles seinteragindo…. Esperei um beijo no fim do filme e ai só uma mizeria de qual seu nlme? Ah pelo amor

    • Yuzuki Eba

      O desfecho é o rencontro deles pq o fio vermelho do destino os uniu;
      A interação e um conhecendo o outro e se colocando no lugar dessa pessoa ao viver a vida dela e sabendo mais sobre ela. .

  • Kollz

    Mas é uma adaptação ocidental, alguém realmente esperava algo diferente disso…