Zeiram: Quando a estranheza é boa

Por Yago Ghuttyerrys em

TOHO / Divulgação

Primeiramente, talvez sua mente demore a se acostumar com esta obra.

Zeiram (1991) é um filme de ficção científica japonês, ambientado em algo semelhante ao universo cyberpunk, comuns em obras como Ghost In The Shell, Akira, Ergo proxy e seus derivados. A base do filme ronda a chegada de Zeiram, um alienígena “imortal” chega a terra, sem muitas explicações de seus motivos. Logo nos primeiros segundos somos bombardeados com cenas em preto e branco de corpos sendo dilacerados em close-up, revelando ser a fuga do Alien de uma prisão que o continha por um longo tempo.

Nossa protagonista, Iria a caçadora de recompensas, rapidamente foi informada da chegada do mesmo. Partindo ao seu encontro. Bom, ela não esperava que seus planos fossem conturbados pela presença de dois atrapalhados eletricistas. Ambos estavam trabalhando próximo ao local dos eventos, sendo arrastados para o centro da trama.

Por dentro da obra

Claramente os roteiristas beberam de muitos clássicos ocidentais, como o próprio Alien. Visto que, Zeiram em sua cabeça um tanto quanto estranha em seu formato, possui um pequeno rosto que ao ser revelado faz lembrar a boca do Alien que atormentou os tripulantes da Nave de Colonização, uma estrutura esguia, quase como uma serpente pegajosa.

Uma questão sempre presente em obras asiáticas, pelo menos em sua maioria, é a boa atuação para o combate, utilizando de artes marciais reais e treinamentos para preparar os atores. Este é um ponto positivo neste filme. Podemos analisar a cada momento que Yuko Moriyama, atriz que interpreta Iria, demonstra suas habilidades corpóreas, dispensando o auxilio de dublês.

Os efeitos… bem, estamos falando de Tokutsatu, estamos no ano de 2019 e existem obras que não largaram a clássica maquete e roubas de plastico. Porém, dificilmente eu vejo negatividade nisto. Tornando-a uma especificidade do gênero. Aqui nesta obra utilizaram bastante dos efeitos práticos que conhecemos em muitos filmes underground, o próprio Zeiram parece um amontoado de camadas e mais camadas de plástico com maquiagem e, muito suor. Mas, quando tudo se une cria um equilíbrio a obra. Não deixaria de fazer uma crítica negativa também, em alguns momentos em que o combate em sua premissa deveria nos levar a excitação, fica um pouco parado, um desenrolar lento.

A história é um ponto complicado, ela é boa, se não fosse utilizada no primeiro filme. Pois, nos deparamos com todo um mundo novo, conceitos, personagens e estilos de vida que não encaixam. Não possui passado que explique o presente. Por qual motivo Zeiram estava preso? De onde vem Iria? Como tudo aquilo se encontra?

Isto é fácil resolver, mas não para quem está assistindo na época de lançamento, muitas perguntas e nenhuma fonte para compreensão. Atualmente sabemos que Zeiram, tem um segundo filme. E, um anime. Este anime contendo apenas 6 episódios explica a história antes de tudo, mostrando uma jovem Iria, inexperiente e seu contato primário com Zeiram, com aquele mundo tão vasto e pouco explorado.

Eu sinceramente aconselho sim assistir todo esse compilado, caso contrário por qual motivo estaria escrevendo sobre? Mas, sejam pacientes com as críticas antes de compreender o funcionamento das obras Tokusatsu. Então, basicamente você deve ver nesta ordem:

  1. Iria: Zeiram The Animation 
  2. Zeiram 1 e 2

Comente abaixo o que achou após assistir algum, se você já conhecia e quais outros conteúdos dentro do Mundo dos Tokusatsu você deseja ver, até uma próxima.

Comentários
  • Nero ZeroX

    Eu li a respeito deste filme algum tempo atrás no auge das saudosas revistas Herói, Heróis do Futuro e outras e os detalhes eram escassos se comparados a hoje…fora isso embora os efeitos sejam datados se comparados a atualidade, muitos destes lembram os de tokus,sentais e afins do mesmo período que hoje são clássicos como Jaspion, KR Black e outros…Off.: Comparar Zeiram com um filme atual e a mesma coisa que comparar os efeitos especiais KRs Black Rx com os de Zi-O, ou do SW (Retorno de Jedi) com o Disney SW, ou Ultraman Tiga com Ultraman R/B…sem analisar os seus enredos e afins…

  • junior saldanha

    nossa yago,seu texto me fez lembrar que existe essa obra….irei assistir sim…lembro que anos atras eu comprei uma revista anime DO que colocou esse anime na capa e achei diferente,pois na época era só titulo da shonen jump na capa…o tempo passou e esqueci da existencia dessa obra…valeu por me lembrar

  • Ikizer Donno

    Essa obra faz parte dos ”clássicos” das antigas revistas de banca. Onde qualquer anime se tornava a melhor coisa que existe. rsrsrss

  • MrM

    Curiosa a frase “She’s beautiful”. Esta frase está na imagem original, ou foi “inserida” por alguém?
    Brincadeiras à parte, lembro que assisti ao primeiro filme de Zeiram há muito tempo, e achei bastante trash. Acho que não consegui chegar até o final. O segundo, só vi trechos no YouTube. Foram o suficiente. E nunca tive interesse pela versão animada.
    Seria interessante se o Japão fizesse um remake com efeitos visuais atuais, sem ser no nível Asylum ou de seriados da Toei. Afinal, tokusatsu não precisa ser sinônimo de trash.